Dar Valor a …

Dar Valor2

Uma grande vantagem de uma Sociedade baseada no Valor Humano é que você não o poderá dar em numerário.

A única maneira de poder dar Valor a alguém que necessita, só poderá ser através de comportamentos e atitudes que ‘alberguem’ Valores Humanos. Esta é a forma correta de se ganhar Valor Humano dando algo de você.

Considero que o Homem teria muito a ganhar pela não existência de dinheiro e pela prática de um imperativo de Valor Humano. A meu ver, esta seria uma forma excelente de se poder transformar em Ser Humano. A Humanidade seria a primeira beneficiária deste novo modo de aplicar o universo dos Valores.

A facilidade com que, nos dias de hoje, se dá dinheiro a alguém, muitas das vezes sem saber verdadeiramente se estamos a contribuir para uma valorização dessa Pessoa, pode até fazer corresponder a uma perda de Liberdade de quem recebe.

Em contraste, a dificuldade em ajudar a valorizar, verdadeira e intrinsecamente, alguém necessitado é enorme e encontra muito poucos adeptos sinceros. O esforço requerido para este processo não se coaduna com a vida atribulada e stressante atual. A falta de tempo e/ou dinheiro são argumentos comuns que justificam o ‘aprisionamento’ indevido em que se está envolvido.

Penso que o meu Leitor estará de acordo comigo quando afirmo que o dinheiro tem contribuído significativamente para uma perda sistemática de Valores Humanos. A facilidade com que atualmente se ‘compra’ algo intangível, contrasta com a forte perda desses Valores.

Muitas Pessoas acabam deturpando o sentido do pragmatismo com a atitude leviana de dar em numerário. Acabam desvalorizando ao dar.

Dar Valor1

Alfredo Sá Almeida                                                                                    31 de Agosto de 2016

Anúncios

A vida tem limites!

Limite perigoso

Hoje, num órgão de Comunicação Social televisivo, ouvi uma frase (dita com toda a pompa e circunstância), que necessita de esclarecimentos. A frase: “A vida não tem limites!” deixou-me muito preocupado como Cidadão.

Este é um tema que mexe com a vida das Pessoas e com o conceito de Liberdade, tão caro a todos nós.

Penso que TODOS nós estaremos de acordo quando afirmo que a vida de um Ser Humano é algo importante e que merece o nosso respeito e consideração, dada a transcendência que envolve na relação com os demais.

O fenómeno VIDA já de si é uma matéria rara no Universo. De todas as investigações, até hoje realizadas por esse universo fora, o Homem ainda não encontrou vida noutro planeta. Podemos estar perante uma situação singular, em que o planeta Terra seja o único com VIDA neste universo.

Por outro lado, VIDA é um fenómeno que envolve células e um metabolismo bioquímico dependente de energia interna e/ou externa. Ou seja, é um processo metabólico dinâmico e muito bem organizado que possui limites próprios para a sua manutenção.

No caso do Ser Humano o fenómeno VIDA é bem mais complexo, dados os fenómenos associados da Mente, da Consciência e da Transcendência, que nos elevam a níveis de responsabilidade acrescida por sermos a única espécie com inteligência superior, capaz de interferir com todas as outras neste Planeta.

A Liberdade é um conceito abstrato criado pelo Homem que traduz a sua necessidade de levar a cabo uma ação de acordo com a sua própria vontade. Mas todos nós sabemos que este conceito tem evoluído ao longo da História do Homem e que na Sociedade atual, apesar de vivermos maiores graus de liberdade, ainda nos encontramos muito limitados na expressão da nossa vontade dados os condicionalismos que o próprio Homem criou.

Significa isto que os limites criados ao desenvolvimento Humano, à Educação e às condições de vida do Ser Humano são tantos, que quase tenho vergonha de falar em Liberdade, nos dias de hoje.

Portanto, não só possuímos limites no fenómeno intrínseco da Vida como da expressão da sua vontade.

Quando um órgão de Comunicação Social, que se diz responsável, faz uma afirmação perentória “A vida não tem limites!”, está a usar a sua Liberdade para nos transmitir deturpadamente os conceitos que entende. O que, a meu ver, é uma expressão errada no seu papel de informação e comunicação noticiosa.

Exemplos destes, infelizmente temos muitos em toda a Comunicação dita Social, mas sem Responsabilidade Social. Significa que, ou são incompetentes ou o fazem propositadamente, para nos deturpar a Consciência. Ou ainda, neste caso, eles não possuam limites para dizer o que tiverem vontade de dizer erradamente, o que vai interferir seriamente com a minha Liberdade de Ser, ouvindo e vendo informações declaradamente deturpadas.

Imaginem as consequências destes atos continuados, noutros domínios do conhecimento, no nosso dia-a-dia!

Caso os Cidadãos não possuam uma Educação e Formação que lhes permita um pensamento crítico sobre determinadas matérias, ficarão ingenuamente expostos a formar juízos de valor errados e a provocar desentendimentos comunicacionais, pela repetição dos erros que ouvem e vêm nesses Órgãos.

Numa Sociedade de Valor Humano estas atitudes e comportamentos não serão admissíveis e a Liberdade de cada Um estará associada à sua responsabilidade como Cidadão Consciente.

Para que fique bem claro, no que acabei de escrever, “A Vida tem limites!” que nos são dados pelo nosso conhecimento, pela nossa consciência, pela nossa responsabilidade como Cidadãos e pela interiorização que fazemos do conceito de Liberdade em Sociedade.

Estou convicto que os meus caros Leitores, tal como eu, querem viver em harmonia com os demais em Sociedade sem serem ‘agredidos gratuitamente’, por palavras ou por atos, pois sabemos que estão a afetar a nossa transcendência.

O caso mais recente tem a ver com os casos que se passam na Sociedade Francesa (e Europeia em geral), da falta de bom senso e de um conceito saudável de Liberdade que impede mulheres de usar burkini nas praias. Estes factos são de tal modo ridículos que suspeito que alguns elementos da Sociedade estejam a perder características Humanas pela carência continuada de Valores Humanos da Sociedade. O mais grave é ver políticos (que se dizem responsáveis) afirmar que estas mulheres o fazem numa atitude provocatória (https://www.publico.pt/mundo/noticia/combater-o-medo-no-corpo-das-mulheres-1742432).

A nossa Sociedade está muito doente e a necessitar de uma renovação de paradigma. Mantenham a saúde mental e o pensamento crítico, em estado de exigência, para não se deixarem corromper por pessoas que não merecem o estatuto de Cidadão.

Ridiculo

Alfredo Sá Almeida                                                                              27 de Agosto de 2016

Se…

Rudyard Kipling

Quando se está em fase de planear o Futuro é comum estabelecermos vários cenários. Estes são uma condição para diminuir a incerteza.

A Sociedade atual vive com muitos Ses porque está demasiado condicionada a referenciais que ‘aprisionam’ o interveniente. Por outro lado, com a perda constante de Valores Humanos o condicional tende a aumentar substancialmente.

Lembram-se do brilhante poema If (Se) de Rudyard Kipling (1895) [Prémio Nobel da Literatura em 1907]?

As condições para se SER um Homem eram tantas que o poema só poderia terminar, dizendo (Tradução Féliz Bermudes):

“…

Pairando numa esfera acima deste plano,

Sem receares jamais que os erros te retomem,

Quando já nada houver em ti que seja humano,

Alegra-te, meu filho, então serás um homem!”

A verdade é que as condições colocadas (caso as consiga cumprir) são excelentes conselhos para a formação de um caráter.

Mas quero transmitir-vos que a causa que tenho vindo a defender, uma Sociedade de Valor Humano, situa-se numa ‘esfera’ bem diferente da dimensão desse poema.

Os Valores Humanos quando bem interiorizados permitem-nos graus de liberdade nunca experimentados pelo Ser Humano. A razão está relacionada com a incondicionalidade como devem ser vividos esses Valores.

Lembremos alguns deles: Amor, Altruísmo, Amizade, Bem Comum, Cidadania, Civilização, Civismo, Comunidade, Consciência, Cultura, Dignidade, Educação, Esperança, Ética, Felicidade, Humanização, Idealismo, Igualdade, Justiça, Liberdade, Solidariedade.

Sugiro ao meu caro Leitor que experimente viver cada um deles INCONDICIONALMENTE. Se o fizer verificará que passará a viver numa ‘esfera’ bem acima daquela que atualmente vive. Com uma diferença substancial da mencionada no poema – estará na dimensão do Ser Humano.

Caso a Sociedade, no seu todo consiga esta proeza de viver INCONDICIONALMENTE os seus Valores Humanos, com confiança, genuinidade e entrega, então cada um destes VALORES terá a dimensão que corresponderá àquilo que o Homem sempre desejou para uma Sociedade de Valor.

Alfredo Sá Almeida                                                                                    21 de Agosto de 2016

A essência das avaliações pessoais no mundo do Valor Humano

Conhecer as Pessoas

Como os meus Leitores sabem, eu tenho vindo a defender neste Blog uma Sociedade baseada no Valor Humano. O objetivo principal é uma mudança de paradigma da sociedade atual, que se encontra ‘mergulhada’ no valor do dinheiro e subordinada ao poder absoluto do Sistema Financeiro Internacional (S.F.I.).

O facto de defender que o S.F.I. (assim como as suas regras) não poderá exercer influência nem coexistir com a Sociedade de Valor Humano, não se prende com questões de ódio mas por razões de incompatibilidade funcional e conceptual entre estas duas Sociedades.

“A finalidade principal do dinheiro é a de gerar lucro que não representa Valor Humano. O Valor Humano NÃO É DINHEIRO, É VALOR CONCRETO. O valor do dinheiro tem uma componente virtual muito grande.” https://saalmeida.wordpress.com/2015/04/06/caracteristicas-do-valor-humano-comparadas-com-o-valor-do-dinheiro/

Coração voando

Todo o Valor na Economia será transferido para o Valor Humano. Os Seres Humanos possuirão então oportunidades IGUAIS para adquirirem Valor.

Uma Sociedade de Valor Humano estará alicerçada em três pilares fundamentais:

  • O Ser Humano;
  • Os Valores Humanos;
  • A Educação.

 

As questões de pobreza não se colocarão porque numa Sociedade desta natureza não existirão pobres. Todas as Pessoas possuirão o considerado indispensável para uma vida digna em Sociedade. Alimentação, cuidados de saúde, condições de habitação e acesso a meios de melhoria da sua condição de vida, serão comuns a TODOS. No entanto, aqueles que possuam maior Valor Humano terão acesso acrescido a outros produtos e serviços, que lhes permitirão um desenvolvimento articulado com o seu maior Valor e a sua maior responsabilidade, incluindo formação.

O conceito de dinheiro desaparecerá, a um ritmo determinado, da mente das Pessoas. Existirão Pessoas com menor e outras com maior Valor Humano, mas em nenhum caso passam por indignidades Humanas como as que existem atualmente.

Neste novo sistema, TODA a Sociedade está em aperfeiçoamento constante. Aliás, o Valor Humano é uma caraterística dinâmica positiva. Esta máxima passará a ser verdadeira:

  • A MAIOR VALOR HUMANO CORRESPONDERÁ MAIOR RESPONSABILIDADE E CONSEQUENTEMENTE MAIOR PODER DECISÓRIO.

Uma Sociedade com estas características não é uma Sociedade perfeita, mas contém todos os elementos necessários a uma evolução e desenvolvimento sustentados, contribuindo decisivamente para uma maior felicidade global. https://saalmeida.wordpress.com/2015/04/16/caracteristicas-de-uma-sociedade-baseada-no-valor-humano/

O fulcro desta Sociedade, tal como eu defendo, estará baseado num sistema global de avaliação de Pessoas. TODAS as Pessoas são suscetíveis de ser avaliadas por outras, com qualificação e certificação para tal, da qual resultará a atribuição de um Valor Humano.

TODAS as Pessoas estarão sujeitas a avaliações periódicas. Essa avaliação possuirá três vertentes:

  • Pessoal
  • Social
  • Profissional

 

Nesta, serão tidas em linha de conta as práticas de vida dessas Pessoas. O sistema de avaliação é global e universal e é suscetível de ser encarado com positivismo quer pelos avaliadores quer pelas Pessoas avaliadas. Não nos podemos esquecer que é com base neste Valor Humano que cada Pessoa terá os meios de participar na vida económica de acordo com os princípios já definidos anteriormente.

Homem sem princípios

“O Valor atribuído a cada Cidadão é, também, um Valor económico que poderá ser trocado por produtos, serviços, formação, etc., necessários ao dia-a-dia de cada Um e à construção do seu desenvolvimento e do seu Futuro”. https://saalmeida.wordpress.com/2015/04/06/caracteristicas-do-valor-humano-comparadas-com-o-valor-do-dinheiro/

Não se trata de avaliar o desempenho da pessoa numa atividade mas sim da sua capacidade de viver bem consigo mesmo em sociedade, seja na convivência do dia-a-dia, seja no desempenho de uma profissão.

Só posso concordar e enaltecer o espírito desta afirmação da minha querida companheira Angela Alem: “Sua vida é uma mensagem para os outros. Garanta que ela seja uma mensagem inspiradora de bons atos, boas palavras, boas perspetivas… De tal forma que ilumine outros a perceberem novos e melhores caminhos.”

Como os meus Leitores poderão constatar, uma Sociedade em que TODOS serão submetidos a uma avaliação periódica, só tem razão de ser por ser baseada no Valor Humano. Deste modo poderão vislumbrar a complexidade que se pode ‘abater’ sobre este sistema se os princípios a estabelecer não forem de simples compreensão, justos, construídos com seriedade e profissionalismo, e aplicados com justiça social.

Conseguir viver bem em Sociedade e contribuir para o bem comum é tão ou mais importante que ser bem-sucedido numa profissão.

Estou de acordo com a afirmação do Prof. Clóvis de Barros Filhos quando diz “… a felicidade implica uma certa capacidade de amar, e portanto, dedicar a própria vida a que outros se alegrem, já que 99% da nossa vida, não é propriamente vida, mas é convivência.”

Igualmente, todos nós sabemos: “… qualquer um sabe que o ‘mundo’ tem uma competência lesiva espetacular.” – Clóvis de Barros Filho

Infelizmente casos de Bullying (seja físico ou psicológico) fazem parte do nosso quotidiano, em diversos referenciais: casa, escola, trabalho e no relacionamento em sociedade. As agressões físicas ou morais praticadas por qualquer pessoa, ou grupo se pessoas, deverão ser tendencialmente erradicadas através de uma Educação em Valores Humanos, em ambiente Escolar e Familiar com orientação de especialistas em psicopedagogia e psicologia.

Em suma, ainda vivemos numa Sociedade muito agressiva e com carências ‘gritantes’, em Valores Humanos e numa Educação de qualidade para TODOS.

Perante esta realidade, não será difícil de vislumbrar as reações e resistências que existirão na fase inicial de implementação de um sistema desta natureza.

Adivinho até os boicotes que colocarão, vindas de Pessoas especialistas em deturpar e desvirtuar novas ideias e paradigmas, apenas para manterem o seu status quo e um suposto ‘poder’ sobre outrem. Não se torna difícil de adivinhar, pois a falta de Educação acrescida de carência em Valores Humanos, conduz a um espírito continuado de Bullying que caracteriza a Sociedade.

Quando este Bullying não for tão explícito apresentar-se-á o mais refinado a tentar demonstrar que estas novas ideias estão erradas e são prejudiciais a tudo e mais alguma coisa. Infelizmente esses argumentos não se basearão em estudos científicos, mas alicerçar-se-ão nos interesses de um sistema financeiro que não quer perder o poder por nada deste mundo. No fundo, essas Pessoas não estão abertas a construir um novo sistema porque temem o caos. Preferem manter as atitudes e comportamentos errados e que causam desentendimentos sistemáticos, na esperança de reduzir a incerteza num futuro, que sabem que não tem Futuro, do que ter uma mente aberta e interveniente para construir um sistema novo que reduza substancialmente os erros do passado.

A vantagem das avaliações periódicas está no facto de a Pessoa poder melhorar as suas atitudes e comportamentos ao longo da vida. Acaba por corresponder a uma aprendizagem constante e a um potencial aperfeiçoamento pessoal que, a meu ver, só tem aspetos positivos.

Torna-se evidente que existirá resistências mais ou menos persistentes, tendencialmente complexas, de quem vai ser avaliado, que complicarão o funcionamento do sistema, mas nada que não seja suscetível de ser ultrapassado com profissionalismo e determinação argumentativa.

Aliás, a prática de Valores Humanos na convivência em sociedade só trás vantagens, evitando muita agressividade gratuita e muita incompreensão.

Não quero acreditar, que a maioria das Pessoas só aceitará implementar um novo sistema se o anterior for destruído, o que me parece absurdo quando se enveredar pela construção de uma Sociedade de Valor Humano. Neste modelo de Sociedade pretende-se construir um novo paradigma, aproveitando o melhor e as melhores práticas já existentes, que estejam dentro do espírito desse paradigma.

No fundo, deverá sobressair um espírito positivista otimista baseado no pensamento crítico para construir uma nova realidade, que não pretende excluir ninguém, como acontece atualmente.

Pessoas de Valor

Em resumo, se pretendemos construir uma Sociedade de Valor nada melhor que congregar todas as boas vontades desta na implementação de um Sistema Educacional que seja capaz de desenvolver e devolver os Valores Humanos aos seus Cidadãos.

Mahatma Gandhi traduziu brilhantemente estes anseios “A verdadeira educação consiste em pôr a descoberto ou fazer atualizar o melhor de uma Pessoa. Que livro melhor que o livro da Humanidade?”.

Alfredo Sá Almeida                                                                                         16 de Agosto de 2016