O mundo da Tecnologia versus o dos Valores Humanos

 

Ao longo da sua evolução o Homem tem sido um criador de tecnologias, para lhe facilitarem a vida e o trabalho. Nas últimas décadas as tecnologias da informação e as eletrónicas têm vindo a desenvolver-se a um ritmo exponencial, quase abafando os desenvolvimentos tecnológicos e científicos noutros domínios do saber.

Dada a evolução mais recente fica a ideia lógica que o Homem evoluirá de Homo sapiens para Homo technologicus com as implicações que daí advirão. Sobre este tema, recomendo uma leitura de um artigo de opinião escrito por Mindy Perkins e publicado no The Stanford Daily“From Homo sapiens to Homo technologicus” (Jan./2015). (https://www.stanforddaily.com/2015/01/19/from-homo-sapiens-to-homo-technologicus/)

Os defensores desta ‘transição’ evolutiva estão tão focados na tecnologia que esquecem que o Homem é um Ser biológico altamente complexo e com uma enorme capacidade de adaptação ao meio envolvente. No entanto, possui limitações bioquímicas e fisiológicas típicas de um Ser vivo complexo. Essas limitações poderão vir a produzir outro tipo de limitações mentais e desequilíbrios difíceis de prever.

Dito isto, e sem muita admiração, o Homem está a deixar-se envolver numa espiral tecnológica, que considero obsessiva e sobre a qual não existem dados científicos suficientes para saber quais as implicações evolutivas mentais que poderão sobressair. Considero ainda que se utiliza demasiado o Consumidor final (dito Utilizador) como ‘cobaia’ de experimentos tecnológicos de utilização massiva, com o espírito: ‘logo se vê o resultado!’.

A meu ver, o resultado até o momento não tem sido brilhante, considerando o Ser Humano, a Biosfera, a saúde mental e os Valores Humanos fundamentais que se estão a perder.

Aliás, vemos Seres Humanos mais preocupados em libertar os golfinhos e as baleias de cativeiro de entretenimento, do que em libertar Seres Humanos de entretenimento tecnológico obsessivo.

Mais recentemente, na continuidade dessa espiral tecnológica obsessiva, chegámos ao apuro de prever quais as evoluções tecnológicas para 2050, das quais o Homem será o utilizador final (sem rede). Recomendo a leitura de um artigo “Da telepatia ao fim dos telemóveis: estas são as dez previsões tecnológicas da Cisco até 2050” (3/Fev./2018) – Economia Online. (http://www.sapo.pt/noticias/tecnologia/da-telepatia-ao-fim-dos-telemoveis-estas-sao-_5a75c3388aa9fe95560515c7)

Ora a tecnologia é uma ferramenta, é um utilitário que o Homem deve usar para uma tarefa precisa (que lhe facilita a vida) mas não para utilizar em continuum. É algo estranho verificar que grandes Empresas e investidores, fãs da tecnologia e do desenvolvimento tecnológico massivo, estejam a usar os Utilizadores de tecnologia para mudanças psicológicas de atitudes e comportamentos obsessivos em sociedade.

No final das contas estas Empresas são especialistas em tecnologia e não em sociologia ou psicologia. Que competência possuem para ‘danificar’ Valores Humanos massivamente?

Todos nós sabemos que não existe nenhuma lei que impeça o desenvolvimento tecnológico (e ainda bem), mas daí a permitir que comportamentos obsessivo-compulsivos tomem conta de um número significativo dos membros jovens (e não só) de uma Sociedade, vai um passo de gigante.

Mais grave ainda é deixar sem regulamentação o desenvolvimento tecnológico de uso massivo e permitir que sejam essas Empresas a ‘determinar’ as mudanças e evoluções sociológicas do mundo atual.

• Estaremos nós a permitir, sem Consciência Coletiva, o fim da equidade social? (https://conceitos.com/equidade-social/)
• Não estaremos, TODOS nós, a colaborar no aumento das desigualdades sociais, entre aqueles que se adaptam com facilidade a tecnologias imersivas e os que não se adaptarão?
• Estaremos nós a provocar uma diferenciação entre aqueles que possuem poder de compra para os gadgets tecnológicos e os que não possuem esse poder?

Temo que a evolução da espécie Humana esteja apenas ‘na mão’ de alguns e não no espírito da grande maioria dos Cidadãos do mundo. Falta-nos Consciência Coletiva e esse facto poderá trazer-nos graves consequências no Futuro. Longe de pensar que esses ‘alguns’ são inconscientes, mas admito que apenas procurem o lucro enorme com as imensas ‘cobaias gratuitas’ deste mundo.

Quando analiso os argumentos que defendem o desenvolvimento tecnológico, como aquele que é mencionado no artigo da Economia Online, fico pensativo e preocupado com os resultados. Afinal quem determina o Futuro de um Cidadão?

Estes desequilíbrios vão seguramente custar muito caro ao Futuro da Humanidade!

Alfredo Sá Almeida                                                                    3 de Fevereiro de 2018

 

Anúncios

One thought on “O mundo da Tecnologia versus o dos Valores Humanos

  1. Pingback: Títulos dos textos publicados no Blog – ‘saalmeida’ – sobre Valor Humano – Valor Humano

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s