Alto! E pára o ‘baile’!

Parar

Esta é uma exclamação usada quando pretendemos ‘congelar’ um desentendimento conflituoso. Pois bem, não se trata de um ‘baile’ qualquer, mas sim do rumo que a nossa Sociedade tem seguido.

No entanto, foi necessário a disseminação pandémica de uma ‘coisa’ anti-vida (um vírus) para nos fazer parar, confinar e isolar socialmente para nos darmos conta que o ‘baile’ parou. De repente as Pessoas caiem numa realidade a que a nossa Sociedade não estava habituada – PARAR! Por um motivo nobre e Humano – a saúde coletiva e pública da nossa espécie. Mas também para preservarmos a Vida, a nossa.

Mas, não é que, nem neste desígnio estamos de acordo coletivamente? Países houve que não pararam e outros só com muita relutância o fizeram. Ao ponto de colocarem em risco a vida das faixas mais frágeis da Sociedade, as crianças e os seniores. Até houve Pessoas que afirmaram: (https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/03/consequencias-economicas-serao-maiores-do-que-5-ou-7-mil-que-vao-morrer-diz-dono-do-madero.shtml) “Não podemos   |parar| por conta de 5 ou 7 mil pessoas que vão morrer, eu sei que isso é muito grave, sei que isso é um problema, mas muito mais grave é o que já acontece no Brasil”.

Outros dirão, ‘são pessoas mais fracas que vão morrer, os mais fortes resistirão’. Duro de ouvir! Mais duro ainda quando interiorizamos estas afirmações e refletimos sobre elas. Mesmo nas Pessoas mais frágeis se encontram as mentes mais brilhantes e com capacidade de influenciar boas decisões, não é mesmo! São as Pessoas mentalmente superiores e de Valor que é mais importante preservar, pois são elas que nos fazem VER os ‘maus’ caminhos que pretendemos seguir!

O Futuro e a Vida não podem ficar nas mãos de mentes arbitrárias desprovidas de Humanismo.

Quando esta pandemia terminar e fizermos o balanço das Vidas que se perderam, das mentes brilhantes que se ‘apagaram’ para fazer a ‘vontade lucrativa’ de alguns ‘seres maquiavélicos’ da nossa Sociedade, talvez cheguemos à conclusão que devíamos ter PARADO mais cedo.

Depois da ‘tempestade’ deverá chegar a reconstrução de um novo ‘tecido’ de Sociedade ‘mais limpo e cheiroso’, mais resiliente e capaz de congregar desígnios bem mais superiores, Humanos e nobres de espírito, com Valor.

Quando aprenderemos que não será o dinheiro que irá construir o Futuro do Humanismo, mas sim o Valor Humano!

Tenho de concordar em absoluto com Yuval Harari “Na luta contra o coronavírus, a humanidade precisa de lideranças globais” (https://epocanegocios.globo.com/Vida/noticia/2020/03/na-luta-contra-o-coronavirus-humanidade-precisa-de-liderancas-globais-diz-yuval-harari.html).

Sim, tudo vai mudar — já está mudando. Para Harari, a mobilização global em torno da covid-19 não terá implicações apenas na forma como organizamos nossos sistemas de saúde, mas também deve moldar a maneira como estruturamos a economia, a política e a cultura para o futuro — tudo isso com base em decisões rápidas e emergenciais, tomadas em meio àquela que (com sorte) será a maior crise vista pela nossa geração. “Ao escolher entre alternativas, devemos nos perguntar não apenas como superar a ameaça imediata, mas também que tipo de mundo habitaremos quando a tempestade passar. Sim, a tempestade passará, a humanidade sobreviverá, a maioria de nós ainda estará viva — mas habitaremos um mundo diferente”, explica. A natureza de emergências como a do novo coronavírus, diz o autor, fazem com que processos históricos avancem muito rapidamente. “As decisões que em tempos normais podem levar anos de deliberação são aprovadas em questão de horas. Tecnologias imaturas e até perigosas são colocadas em serviço porque os riscos de não fazer nada são maiores. Países inteiros servem como cobaias em experimentos sociais em larga escala. O que acontece quando todos trabalham em casa e se comunicam apenas à distância? O que acontece quando escolas e universidades inteiras ficam online? Em tempos normais, governos, empresas e conselhos educacionais nunca concordariam em realizar tais experimentos. Mas esses não são tempos normais”, conclui.” (https://tab.uol.com.br/noticias/redacao/2020/03/28/guru-dos-nossos-tempos-yuval-harari-aponta-os-cenarios-pos-pandemia.htm)

É sobre estas matérias que a Humanidade se deve preparar BEM para podermos reconstruir um Mundo melhor depois desta ‘tempestade catastrófica’. Podemos aproveitar melhor este tempo de ‘clausura’ para refletirmos sobre as mudanças importantes que a Sociedade deverá produzir.

Mas uma coisa é certa, tal como este escritor menciona “Yuval Harari: o mundo depois do coronavírus” não será o mesmo (https://universoracionalista.org/yuval-harari-o-mundo-depois-do-coronavirus/).

Não de demita da sua função de Cidadão do Mundo.

Alfredo Sá Almeida                                                                                   31 de Março de 2020

Opinião/Comentário – A consciência sobre esta pandemia

O Mundo está a assistir estupefacto á falta de consciência coletiva de líderes políticos de Países que se dizem desenvolvidos.

Os Políticos e Financeiros deste mundo não deveriam menosprezar a dinâmica dos vírus.

Vejamos o que acontece se menosprezarmos a dinâmica do Covid-19! (https://www.youtube.com/watch?v=n4no04822NQ)

Death counts of epidemics by

Perante esta informação a Holanda (Países Baixos) deveria ter uma maior consideração e respeito pelos seus Cidadãos, senão vejamos:

– À data de Hoje (27 de Março de 2020) os Países Baixos têm 8603 Pessoas infectadas; 546 Mortes e apenas 3 Pessoas recuperadas.

Significa que poderiam ter salvo muito mais Pessoas do que na realidade aconteceu.

Outro exemplo, não menos importante, é o caso Brasileiro.

(https://www.sapo.pt/noticias/internacional/governador-de-sao-paulo-ataca-bolsonaro-e_5e7e6c171a16c91991bb2192)

– À data de Hoje (27 de Março de 2020) o Brasil tem 3417 Pessoas infectadas; 92 Mortes e apenas 6 Pessoas recuperadas. Há muito para prevenir!

No caso Português, à data de Hoje (27 de Março de 2020) tem 4628 Pessoas infectadas; 76 Mortes e 43 Pessoas recuperadas.

Conclusão, o Presidente do Estado de São Paulo tem TODA a razão quando afirma:

“”A política que mata pessoas, não salva a economia”, defendeu o governador de São Paulo, aconselhando os cidadãos a verificarem as recentes declarações do governante de Milão, Giuseppe Sala, que se mostrou arrependido por ter estimulado moradores da cidade a continuarem as atividades económicas e sociais durante a pandemia.

“Será que em São Paulo, e em outros estados do nosso país, vamos precisar enterrar 4.500 pessoas para ter a certeza de que o convite para irem às ruas, para fazerem o que não devem fazer, é um erro?”, acrescentou o governador.

Na terça-feira, Jair Bolsonaro gerou polémica junto da classe médica e política do Brasil ao pedir às autoridades estaduais e municipais a reabertura de escolas e comércio, e o fim do “confinamento em massa”, de forma a evitar uma eventual “onda de desemprego”.

Após ter-se oposto às declarações de Bolsonaro, João Doria sofreu ameaças de morte, tendo apresentado queixa na polícia.”

No caso dos Estados Unidos da América nem vale a pena falar, pois tornaram-se nos campeões de Pessoas infectadas – 98080; 1513 Mortes e 1868 Pessoas recuperadas. A sua ação tardia conseguiu o inimaginável – ultrapassar a China na infeção do Covid-19.

COVID-19 may become the

Afinal o desenvolvimento tecnológico não está a salvar as Pessoas! São muito bons a vender armas mas fracos a salvar Pessoas!

Projection based on

Não brinquem com a dinâmica dos vírus que vão perder a GUERRA!

Projection based on

Alfredo Sá Almeida                                                                          27 de Março de 2020

Os vírus e a Vida – A aprendizagem constante ao longo da Vida.

E. Coli. (bactéria) nm = nanômetro.

O Mundo está perante um desafio enorme devido a uma ‘coisa’, que chamam vírus, e que se tornou em pandemia.

Vou explicar a razão porque chamo ‘coisa’ a um vírus. Primeiro que tudo, entre a comunidade científica os vírus não são unanimemente considerados ou classificados como Seres Vivos. A razão para esta divergência prende-se com o seguinte:

(https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/biologia/os-virus-sao-seres-vivos.htm)

1) Alguns pesquisadores afirmam que os vírus são organismos que não devem ser considerados seres vivos. Para sustentar essa ideia, as principais afirmações feitas são:

  • Os vírus não possuem células (acelulares), a unidade estrutural e funcional dos seres vivos. Essa característica contraria a Teoria Celular, que diz que todos os seres vivos são formados por células. Assim sendo, por não possuírem células, muitos afirmam que vírus não são seres vivos;
  • Os vírus não apresentam potencial bioquímico que possibilita a produção de energia metabólica. Assim sendo, os vírus não são capazes de respirar e alimentar-se, por exemplo;
  • Os vírus só são capazes de se reproduzir no interior de outra célula. Por essa razão, dizemos que eles são parasitas intracelulares obrigatórios.”

No entanto, para alguns pesquisadores são considerados como seres vivos:

      2) Os vírus realizam algumas atividades consideravelmente complexas. Eles são capazes, por exemplo, de “enganar” nosso sistema imunológico e causar doenças, atividade complexa para um ser sem vida, não é mesmo?

Muitos pesquisadores afirmam que os vírus devem ser, sim, considerados seres vivos. Para isso, eles utilizam algumas características desses seres para sustentar essa afirmação. Essas características são:

    • Presença de material genético: RNA e/ou DNA. A presença desse material indica que esses organismos são capazes de transmitir suas características aos seus descendentes;
    • Os vírus apresentam capacidade de evolução, ou seja, sofrem alterações ao longo do tempo, uma característica importante, uma vez que admitimos que os seres vivos mais bem adaptados sobrevivem no meio.”

Eu, como bioquímico, não dou crédito a uma ‘coisa’ que não se relaciona entre si, não é uma célula, não respira, não possui sistema metabólico energético, apenas é capaz de se ‘copiar’ (nem posso chamar de reproduzir) como parasita intracelular obrigatório (“Fora do ambiente intracelular, os vírus são inertes.” – Wikipédia) e matar o hospedeiro.

Pois bem, o Homem também se tornou numa pandemia da nossa Biosfera, ao longo dos milénios, mas é um Ser Vivo superior. O que o torna superior aos outros Seres Vivos é o facto de ter um cérebro evoluído e uma mente consciente, conhecedora e capaz de dominar os vírus (e não só).

É a nossa mente que faz TODA a diferença nesta ‘mega equação’ a que chamamos Vida e a que nem sempre damos o devido Valor.

A nossa mente tem uma capacidade enorme de aprendizagem, de correlacionar o conhecimento, de o integrar e de lhe dar um Valor. Por outro lado, os Valores Humanos foram acrescentados ao longo da nossa evolução dando um sentido superior à nossa vida. Temos de ter em consideração que Metafisicamente, a vida é um processo contínuo de relacionamentos” – Wikipédia. Nesta matéria de relacionamentos o Homem ainda não se tornou um mestre.

Ora um vírus só tem um sentido ‘vazio’ – MATAR. Esta é a característica essencial dos vírus: – copiam-se dentro das células, aos milhares, até rebentarem com as células onde se copiaram e continuam o seu caminho do mesmo modo, até serem travados pelo sistema imunológico, por um medicamento anti-viral, ou pela morte do hospedeiro. Ou seja, um vírus é uma ‘coisa’ anti-vida.

Quantas vezes o Homem na sua caminhada pela vida foi capaz de se comportar como um vírus!

Ainda hoje, fui confrontado com a notícia de um teste experimental de um míssil hipersónico capaz de atingir cinco vezes a velocidade do som e chegar mais rápido ao ‘objetivo’ para matar o inimigo humano.

Enfim, o Homem ainda não aprendeu o suficiente para dar o devido respeito pela VIDA. Nem mesmo com aquilo que esta pandemia nos está a provocar. Estamos confinados a ficar em casa, limitados ou condicionados e devemos reduzir os nossos relacionamentos pessoais, por causa de uma ‘coisa’, um vírus.

No entanto, se soubermos ser inteligentes, aproveitarmos a sabedoria adquirida, valorizarmos a Vida e soubermos tirar partido daquilo que o vírus destruiu (Pessoas, relacionamentos, economia, empresas, postos de trabalho, etc.), talvez nos ajude a construir uma Consciência Coletiva e a mudarmos, transformarmos ou reformarmos a convivência em sociedade, corrigindo, construindo ou criando os elos de ligação entre Humanos que nos atrevemos a destruir ao longo dos tempos.

Nesta crise pandémica, os Líderes e os Homens do Poder souberam injectar dinheiro em toda a estrutura da Sociedade, como se o dinheiro fosse um elemento vital para o futuro do Ser Humano. Dando o exemplo de que o dinheiro não é problema.

Saberemos nós injectar Valores Humanos em TODAS as estruturas da Sociedade e revitalizar a construção de um Futuro digno de Seres Vivos e Humanos de Valor?

Por favor, meu caro Leitor não se torne num vírus!

Alfredo Sá Almeida.                                                        21 de Março de 2020