A Humanidade não tem crédito do Planeta que habita

O dia do fim dos recursos

Fonte: (http://www.dn.pt/sociedade/interior/recursos-de-2017-esgotados-agora-e-a-credito-no-planeta-8678937.html)
Global Footprint Network (2017)

A Humanidade não tem crédito do Planeta que habita porque não é de confiança. Como poderia a Terra ter confiança em nós quando nos desligámos, espero eu que não seja irreversivelmente, da nossa Biosfera e nos tornámos predadores das outras espécies e perdemos a vergonha pelos nossos actos.

Se o Homem pretender transformar-se em Ser Humano tem de mudar radicalmente as suas atitudes para com a Biosfera e tornar-se ambientalmente sustentável nas suas atividades diárias.

Aliás, o Homem está a fazer com o Planeta aquilo que faz com o dinheiro – usa e deita fora. Falta-nos Consciência e Inteligência Coletivas para que possamos ter um Futuro Coletivo digno para a Biosfera que habitamos.

Os hábitos de consumo do Homem tornaram-se irresponsáveis e prejudiciais para a sua espécie e toda a Biosfera. Globalmente, para aquilo que consumimos necessitaríamos dos recursos de dois Planetas (e para muitos Países não seria suficiente) para sustentar o nosso modo de vida.

“Portugal, cuja atual pegada ecológica corresponde aos recursos de 2,3 planetas – se a humanidade consumisse ao ritmo atual dos portugueses, os recursos esgotar-se-iam a 10 de junho -, é um dos países que não ficam bem neste retrato.

Embora seja o nono país com a pegada mais baixa dos 28 da União Europeia, e esteja muito abaixo de “campeões” como a Austrália, que consome atualmente 5,2 Terras, os Estados Unidos (5), a Rússia (3,4), a Alemanha (3,2), a França (3) e até a Espanha (2,4), Portugal é um contribuinte líquido para a situação de insustentabilidade dos recursos da Terra. E alimentação e a mobilidade, respetivamente com 32% e 18% de peso na pegada ecológica do país, são duas das atividades que por cá mais contribuem para isso, segundo a organização ambientalista Zero.” Fonte: (http://www.dn.pt/sociedade/interior/recursos-de-2017-esgotados-agora-e-a-credito-no-planeta-8678937.html)

Muitos de nós reconhecem que não podemos continuar com estes maus hábitos e estes modelos de vida, mas coletivamente fazemos muito pouco ou quase nada para mudar esta situação. A nossa Inteligência (se é que a temos) diz-nos que devemos mudar URGENTEMENTE de Paradigmas da Sociedade. É necessário um “Despertar para o Futuro” (2014) (https://www.amazon.co.uk/Despertar-para-Futuro-ess%C3%AAncia-mudan%C3%A7a/dp/150281224X/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1501674304&sr=8-1&keywords=Despertar+para+o+Futuro) para começarmos a trilhar um novo caminho coletivo.

Considero que a Terra merece um Homem melhor para habitar a sua Biosfera. A perda significativa de Valores Humanos tem-nos tornado indiferentes, gananciosos, viciados e predadores. A Vida é um bem que o Universo não se pode permitir de perder. Ou nos alinhamos pelo caminho mais correto, em sintonia com o Universo, ou vamos perecer prematuramente sem termos demonstrado a nossa Inteligência Coletiva.

Alfredo Sá Almeida                                                                     2 de Agosto de 2017

Anúncios

Paraíso Terrestre?

Paraíso3

A Biosfera terrestre bem poderia ser um Paraíso!

No único planeta com Vida (conhecido até ao momento), neste vasto Universo, onde existem Seres inteligentes com capacidade de planearem e desenvolverem um Futuro, a Terra deveria ser um referencial de sabedoria e equilíbrio dinâmico sábio entre TODAS as espécies vivas.

No entanto, por influência nefasta dos Homens, este Planeta está muito longe de ser um Paraíso.

A História do Homem sempre foi muito atribulada. O espírito guerreiro ainda não foi completamente superado pelo do Saber Ser e Saber Estar. O Valor Humano que venho defendendo não domina a maioria das mentes.

O Homem é uma espécie agressiva, prepotente, arrogante e não utiliza a sua Inteligência, nem a capacidade de perspetivar o Futuro para o seu BEM Coletivo, e muito menos para o BEM das outras espécies deste Planeta.

Maioritariamente, o desejo constante do Homem é o Poder e a dominação dos outros. Apesar de ter desenvolvido Valores Humanos ao longo da sua História, não os aplica nem os transmite aos seus pares com o equilíbrio de um Ser Humano sabedor, humilde e solidário.

Guerra, Fome, Escravidão, Agressão, Ganância e Violação são os elementos resultantes, profundamente negativos, de uma espécie que quer dominar tudo e todos.

Personalidades da nossa História recente, que possuíam um espírito apaziguador, tranquilo e solidário, que desejaram o BEM e o praticaram com sabedoria e projeção no Futuro do Homem, como Gandhi, Mandela, Luther King, e tantos outros, ou foram assassinados ou estiveram presos durante muito anos, por ‘incomodarem’ e afrontarem o PODER perverso do Homem, dominador e arrogante.

Mas não pensem os meus caros Leitores que não existem Paraísos na Terra! Existem sim! Não são é para TODOS. São apenas para alguns que transformam a vida dos outros num inferno.

Senão, vejamos o caso dos paraísos fiscais e turísticos. Os primeiros destinam-se àqueles que possuem o poder do dinheiro, mas que não gostam de o partilhar com mais ninguém, muito menos pagar impostos nos seus Países de origem. São pessoas ‘demasiado superiores’ (pensam elas) às outras para cumprirem um dever fiscal que beneficiaria mais pessoas. Os paraísos turísticos destinam-se às Pessoas que pretendem relaxar um pouco das agruras da vida de escravidão que levam, durante grande parte do seu tempo.

Em ambos os casos, não são paraísos na verdadeira asserção do termo. São ‘ilhas’, simulacros de Paraíso, onde se praticam as mesmas ‘malfeitorias’ das restantes partes do mundo, mas onde alguns podem usufruir de um tempo pseudo paradisíaco, onde retemperam forças para continuarem a infernizar a vida dos outros.

O estranho de toda esta realidade é que a grande maioria dos dominados, famintos, escravos, violados, etc., apesar de humildes, possuem substancialmente mais Valores Humanos do que os detentores do Poder dominador. Exatamente por isso, estas Pessoas pretendem uma mudança de Paradigma com maior justiça social, recusando-se, na grande maioria das vezes, à mesma agressão e dominação a que estão sujeitos. Desejam sobretudo um aumento significativo da equidade social e da dignidade como Seres Humanos.

Esta última questão é fulcral para o início da construção de um Futuro Paraíso na Terra. Na medida em que o Poder reconheça e efetive uma equidade social e uma dignificação do Ser Humano, permitindo uma expansão social dos Valores Humanos e uma Educação de qualidade para TODOS, poderemos assistir a uma consolidação de elementos estruturantes do Paraíso terrestre.

Não será, ainda, o Paraíso sonhado por muitos, mas trará momentos de maior felicidade e um maior Valor Humano a esta Humanidade, carente de BEM e de um Futuro melhor para TODOS.

E o meu caro Leitor seria capaz de viver ativamente num Paraíso, onde predominariam os Valores Humanos, e onde pudesse dar largas à sua criatividade, no respeito pelo outro, à construção sustentada de um Futuro melhor, com Consciência e Inteligência Coletivas?

Será que o deseja com toda a força do seu Ser, ou apenas aspira a que vá acontecendo?

Está preparado para viver no Paraíso?

Paraíso4

Alfredo Sá Almeida                                                                                  22 de Fevereiro de 2016