Afinal, o dinheiro serve para quê?

Dinheiro

Agora é que vai começar a verdadeira ‘GUERRA’!

Enquanto os Decisores estiveram ‘entretidos’ com as medidas para salvar Pessoas (ou para evitar que se infetassem), verificámos que Políticos, Sociedade, Médicos, Enfermeiros, Juízes, Cientistas, Instituições, etc., enfim, quase toda a Sociedade Civil se colocaram de acordo com as medidas a tomar. Ou seja, a Inteligência e Consciência Coletivas funcionaram em sintonia (apesar de algumas divergências).

Enquanto o foco foi o Ser Humano, TUDO se passou bem.

Mas agora, que é importante e necessário preparar o Futuro e a Economia para refazer(?) o Paradigma da Sociedade atual, vai começar a parte mais difícil – colocar TODOS em ‘sintonia’ para distribuir o dinheiro que foi considerado suficiente(?) pela União Europeia para resolver a crise económica resultante da pandemia.

Muitos dirão, que o dinheiro deve ser poupado para nos precavermos de uma situação de grande crise. Pois bem, estamos em situação de grande CRISE mas há quem considere que não é tão grande assim, e, alguns não são tão solidários quando se trata de distribuir DINHEIRO.

Senão vejamos o que se está a passar:

Fala-se muito em verbas monetárias e ninguém se consegue por de acordo. Esta é a realidade do dinheiro como mecanismo virtual desprovido de elo de ligação ao Ser Humano. É estranho, como Pessoas que se dizem inteligentes são capazes de ser tão rígidas, tão rigorosas com REGRAS financeiras (criadas por alguns poucos Homens) e não vislumbrem soluções plausíveis para resolver os problemas da Humanidade. São de um conservadorismo bacoco, nuns casos, mas noutros são perfeitamente psicopáticos. Talvez fosse altura de começarem a ler os meus textos sobre o Valor Humano e o muito que falta fazer, para ganharem alguma humildade (se é que têm alguma) de Ser Humano.

Por outro lado, é nestes momentos de grande crise que se vê a dimensão de alguns Homens. O Mundo Global poderia aproveitar esta oportunidade para mudar um sistema caduco, injusto e não sustentável, cada dia mais gerador de desigualdades financeiras, económicas e sociais. Talvez, as Pessoas (ditas normais) e os Cidadãos do Mundo reconhecendo as más características deste sistema consigam mostrar aos ‘donos’ do Sistema Financeiro Mundial o quão errados estão e que não poderão ser mais os ‘donos’ do PODER.

Não se torna necessário uma outra GUERRA, basta tirar-lhes o ‘tapete’ que têm debaixo dos pés para que fiquem a flutuar num universo indigno e sem realidade social.

Gostaria, sinceramente, que os meus Leitores refletissem muito sobre o tema deste texto – “Afinal, o dinheiro serve para quê?”. Não serão o Valor Humano e os processos educativos, onde o conhecimento, a criatividade e o bem-comum, muito mais importantes e essenciais ao Futuro da Humanidade?

Alfredo Sá Almeida.                                                                                     7 de Abri de 2020

O que é preferível, uma Guerra mundial ou uma mudança de Paradigma da Sociedade Global?

MENINA-SÍRIA-771x420

(Reação de uma menina Síria quando um operador de câmara a está a filmar, julgando que lhe estão a apontar uma arma)
(http://www.contioutra.com/bbc-entrevista-fotografo-da-menina-siria-que-se-rende-a-camera-imaginando-tratar-se-de-uma-arma/)

Vivemos em estado de Paz ‘podre’ sob ameaça constante de Guerra. Esta é uma triste realidade dos dias de hoje, onde as guerras estão disseminadas um pouco por toda a parte. Olhemos para o caso da Síria, do Afeganistão, do Iraque, de alguns Países Africanos e outros Asiáticos.

A inexistência de uma Educação de Qualidade para TODOS conduz as Pessoas a manter “os mitos, os tabus, os arquétipos, os preconceitos, as mentalidades, as etiquetas, os estereótipos, as conveniências e as conivências oportunistas.” Por outro lado, a inteligência emocional fica descontrolada e desequilibrada, e a racionalidade afetada por todo o tipo de ameaças, sejam culturais ou económicas.

Num estado geral desta natureza não é de admirar que os ânimos se exaltem e os Líderes percam a razão e ‘arrastem’ os Povos para a Guerra.

Todos nós sabemos que a Paz é um processo dinâmico sujeito a um equilíbrio e a uma atenção constante por parte das Diplomacias, para não descambar e não tropeçar na irracionalidade dos actos.

Olhemos para o mapa do mundo atual e verifiquemos que Líderes comandam os Países (ou confederação de Estados) e que verbas estes destinam à construção e venda de armas (de todos os tipos), das mais ligeiras às mais pesadas e de destruição maciça, para termos uma noção de quão frágil é a Paz. Muitos desses Líderes pensam que a segurança só se consegue com armas e que essas são a melhor atitude de dissuasão.

Aliás, o Homem (desde longa data) mantém uma atitude bélica preponderante que se transmite e ‘infeta’ todos à sua volta. Poderemos dizer que houve uma melhoria nas últimas décadas de vida no mundo, mas as tensões mantiveram-se e existem disseminadas por vários pontos do Planeta.

Sobretudo, temos de o admitir, a Paz é um processo Educativo constante. Deveria ser como o Conhecimento, uma aprendizagem constante. Essencialmente, deveria ser uma melhoria constante dos Valores Humanos, aqueles que caracterizam o melhor do Homem em Sociedade, que o transformam em Cidadão do mundo e lhe dão a sabedoria da convivência.

Mas para isso acontecer, será necessária uma mudança profunda de Paradigma da Sociedade Global, onde o Valor do Homem possa sobressair e moldar a Inteligência e Consciência Coletivas. A Humanidade está carente de um Paradigma desta natureza. Onde TODOS teríamos de aprender a SER melhores Cidadãos e a construir um Futuro Coletivo digno de Seres Humanos.

Vai doer

Este seria um esforço que ajudaria a UNIR TODOS, em desígnios comuns e de Valor, e esquecer o que nos separa para nos focarmos na importância das Comunidades, da Vida, da Sustentabilidade do Planeta, no Desenvolvimento Humano e na Paz. Nada disto será possível sem uma Educação de Qualidade para TODOS.

Convenhamos que a dimensão da DOR é bem diferente numa situação de mudança Global de Paradigma, ou numa mudança provocada por uma Guerra mundial! E o número de mortes, também! Qual delas, o meu caro Leitor, preferiria?

Será o Homem capaz de adquirir essa Consciência e não se deixar tentar pela violência e pela agressão?

Será o Homem capaz de construir uma mudança Global de Paradigma que não descambe numa Guerra?

Se não acreditarmos que o Homem tem essa capacidade como Coletivo de Nações, de Povos ou de Culturas, então que andamos neste mundo a fazer?

Malala-Yousafzai

– O que sai mais caro de promover e implementar: uma Guerra, ou, uma Educação de Qualidade para Todos? – Qual destas atitudes produzirá as melhores mudanças para o Ser Humano?

Alfredo Sá Almeida                                                                                   1 de Março de 2018