Que solução para o futuro do Homem?

Solução para o Homem 5

Parece estranha esta pergunta para quem domina TUDO e TODOS e que se julga um DEUS! (Yuval Noah Harari) Mas corresponde a uma triste realidade – ‘O Homem não se mostrou capaz de encontrar soluções sustentáveis e de Futuro para a sua vida nesta Biosfera!’.

Mas uma coisa é certa, só o próprio Homem tem a capacidade de encontrar a solução para os problemas que criou, mesmo julgando que era inteligente suficiente para os resolver. A não ser que prefiram ficar à espera de uns aliens  que nos venham impor uma solução!

Tantos e tão bons Escritores, publicando livros que são best-sellers, lidos por milhões de Pessoas em todo o mundo (como Yuval Noah Harari, Elizabeth Kolbert ou Al Gore), capazes de fazer uma análise exaustiva, científica, correta e inspiradora dos comportamentos Humanos nesta Sociedade Globalizada, e, não assistimos a uma resposta cabal, coletiva e duradoura para melhorar o Futuro do Homem com o pensamento no bem-comum!

Muitos de nós sabemos que os comportamentos Humanos nesta nossa Biosfera, não são sustentáveis e que a continuarmos assim, caminhamos para ‘A Sexta Extinção’ (Elizabeth Kolbert)!

Mas na realidade continua TUDO na mesma! Caminhamos para a nossa destruição como Seres Humanos e arrastaremos as outras espécies connosco!

Solução para o Homem 1

Não meus Amigos não se trata da sustentabilidade financeira mundial, ou, se o BREXIT com acordo ou sem acordo com a UE produzirá instabilidade dos mercados! Ou se a Venezuela e a Coreia do Norte deixarão de ser ditaduras! Ou se vamos continuar a consumir petróleo como maior fonte de energia!

NÃO, NÃO! … Somos NÓS que temos que encontrar uma solução viável para sermos Seres Humanos e não predadores insustentáveis! E, se não for a BEM (com o consenso da maioria) tem de ser por IMPOSIÇÃO dessa solução viável! Ou pretendem ter na vossa consciência a eliminação da face da Terra da grande maioria da diversidade de espécies e de NÓS próprios?

  • Será que não seremos capazes de encontrar os caminhos do BEM-COMUM para solucionarmos os nossos problemas?
  • Será que vamos continuar a defender que o Dinheiro, e quem o domina, é a entidade toda poderosa a que nos devemos subjugar para encontrarmos a melhor solução?
  • Será o VALOR HUMANO singular e coletivo a dimensão adequada para ser a plataforma de entendimento entre os Homens?
  • Vamos lá, meus Amigos, temos tantas opções que são viáveis para a grande maioria de NÓS e ficamos estupefactos e indiferentes perante tão dura realidade?

Se assim for, só vislumbro um grande problema que temos que resolver! Estamos todos VICIADOS neste modelo de Sociedade, que aconteça o que acontecer manteremos o nosso VÍCIO!

Solução para o Homem 3

Se o problema é o nosso VÍCIO, então existem soluções viáveis para o tratar! Só que não é de livre vontade que seremos ‘tratados’ (porque já demonstrámos que não temos força de vontade para o fazer)!

Bom, talvez a melhor solução seja divertirmo-nos muito e deixarmo-nos ‘anestesiar’ para termos uma morte coletiva ‘sem dor’!

Divirtam

  • Teremos NÓS a Inteligência Coletiva suficiente para mantermos os Valores Humanos de um Ser e sabermos transformarmo-nos em sustentáveis nesta Biosfera?

Bom, talvez prefiram abandonar este planeta e viajar para outro melhor! Os que cá ficarem que se ‘danem’!

Este é o meu ‘desabafo’, na tentativa (mais uma) de transmitir a minha modesta solução para os problemas da Humanidade. Continuo a acreditar que a SOLUÇÃO do VALOR HUMANO, como a tenho desenvolvido, é uma solução viável para os Seres Humanos responsáveis e conscientes do drama que criámos e que estamos inseridos.

Solução para o Homem 2

Alfredo Sá Almeida                                                                              12 de Março de 2019

 

Anúncios

Como você encara o contraditório?

Contraditório

Nós nunca aprendemos o suficiente para lidar com o contraditório. Só a sabedoria ‘enraizada’ tem boas perspetivas para enfrentar a contradição e fazer luz sobre o assunto.

Vem este tema a propósito da Educação que quase todos nós recebemos e que não nos ajuda a defrontar o contraditório com os argumentos indispensáveis. Em questões do Direito o contraditório é – “Princípio de igualdade entre as partes, permitindo que cada uma possa contestar a outra parte ou contra-argumentar” (Priberam).

Quando pensamos, por exemplo, nos cursos de Master Business Administration (MBA), ministrados nas melhores escolas deste Planeta, a jovens aprendizes de Gestor, ou, na Política e nos Políticos, nos Financeiros e afins, nos mais variados Países, verificamos que necessitaríamos de estar melhor preparados para a contradição e o contraditório. Esta é uma matéria que implica conhecimento consolidado sobre as matérias em causa e muita inteligência emocional para enfrentar essa realidade.

O melhor exemplo que podemos ter é o do próprio Homem (no sentido antropológico). Nós somos a verdadeira contradição deste Planeta. Basta ‘olhar’ para o que temos realizado ao longo dos séculos para nos defrontarmos com um universo de contradições, numa dimensão difícil de imaginar. Mais, se ‘olharmos’ para o futuro e para tudo o que o Homem está a realizar, continuamos a ficar siderados com os exemplos.

Ou seja, pouco haverá a fazer, mas o melhor seria prepararmo-nos para enfrentar o contraditório com outras capacidades. Nem mesmo na condição de Ser Humano (Homem com educação e prática em Valores Humanos) estaríamos melhor preparados para lidar connosco.

Um bom começo seria, cada um de nós (desde que nasce) ter acesso a uma Educação multidimensional que nos transmitisse, para além dos conhecimentos nas mais variadas matérias, os fundamentos e os Valores da Humanidade nas principais dimensões culturais do Homem na sua vivência neste Planeta. E, pudéssemos aprender o porquê sobre tantas coisas que nos fazem mal, mas que repetimos vezes sem conta ao longo da vida.

Na grande maioria das vezes contestamos por impulso, só porque nos apetece. Quando o EU tem uma dimensão maior que o NÓS somos 7,5 biliões de contestatários.

Temos tanto, mas mesmo tanto, a fazer na condição de Humanos, que me admira estarmos a seguir o caminho que delinearam para a Sociedade e a Humanidade. Você vai seguir esse caminho?

O Homem arrisca-se a morrer e a matar prematuramente o seu Planeta de nascença sem nunca ter experimentado a dimensão da Cidadania Global e Humanitária.

Silência contraditório

Alfredo Sá Almeida                                                                              2 de Outubro de 2018

O que é que você valoriza?

Valorize-se

Esta é a questão crucial que TODOS nós deveremos colocar, neste início de século, para podermos interagir com os nossos pares e não desequilibrarmos a evolução da Humanidade.

Se você valoriza:

  1. A Vida;
  2. Os Valores Humanos;
  3. Uma Educação de qualidade para todos;
  4. A sustentabilidade da Biosfera;
  5. O respeito pelo clima e pelos fatores que o podem alterar irreversivelmente;
  6. O conhecimento e a sua difusão;
  7. O respeito pelas diferenças em todos os aspetos da vida;
  8. A Liberdade e a Responsabilidade dos seus actos;
  9. O seu desenvolvimento mental com humildade;
  10. A Democracia como forma de desenvolvimento político.

E consegue dar ‘corpo’ a estes Valores, então estará em boa posição para desenvolver o nosso Futuro Coletivo e contribuir para a nossa Consciência Coletiva.

Estes Valores Universais deveriam constituir a ‘base’ de qualquer Ser Humano no nosso Planeta. Deveriam ser transmitidos na escolaridade obrigatória e contribuir para a formação do caráter de cada Cidadão.

A grande dificuldade prende-se com o facto de sermos capazes, ou não, de convencer os nossos pares que este é o caminho a seguir para o Futuro da Humanidade. Quanto maior o número de Pessoas que tiverem Consciência destes Valores e da sua importância no nosso desenvolvimento como Seres Humanos, maior será a probabilidade de conseguirmos mudar os ‘padrões’ da nossa Sociedade atual.

Se, nos cargos de poder Político, Judicial, Militar, Social, etc. estiverem Pessoas capazes de personificar estes Valores e a sua valorização, então estaremos no caminho certo para um Futuro melhor para TODOS.

Não se deixe ‘corromper’ por outras filosofias limitativas do Ser Humano. Nós somos a espécie que detém o Poder neste Planeta e possuímos a capacidade de desenvolver com inteligência ou destruir. Até à data temos produzido mais MAL que BEM, mais guerra que Paz, mais destruição que desenvolvimento. Nós podemos mudar este estado de coisas. Basta querermos com consciência e determinação argumentativa.

Você não gostaria de contribuir para MUDAR O MUNDO?

tudo-o-que-voce-tem-e-nao-valoriza-a-vida

Alfredo Sá Almeida                                                                              27 de Agosto de 2018

O Homem está a perder a razão em relação ao Ser Humano

Homem absurdo

Sob o ponto de vista filosófico Homem e Ser Humano não possuem a mesma identidade. Normalmente o termo Homem está mais associado à antropologia filosófica. “O que temos claro, todavia, é que nem sempre as concepções de ordem antropológico filosóficas estão em consonância com os próprios princípios bioéticos, bem como com as normas vigentes na ordem jurídica.” – Emerson Silva Barbosa.

Ainda, recorrendo ao excelente artigo de Emerson Silva Barbosa, intitulado “O conceito de homem, pessoa e ser humano sob as perspetivas da Antropologia Filosófica e do Direito” (http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=9837) publicado no Portal “Âmbito Jurídico” sob o tema Biodireito, podemos encontrar matéria muito interessante referente a Ser Humano.

“Conforme Singer (2000), Fletcher compilou uma lista daquilo a que chamou indicadores de humanidade, em que incluiu o seguinte:

a) Autoconsciência
b) Autodomínio
c) Sentido do futuro
d) Sentido do passado
e) Capacidade de se relacionar com outros
f) Preocupação pelos outros
g) Comunicação
h) Curiosidade

Dos indicadores apontados, destaca Singer que os elementos mais importantes seriam a racionalidade e a autoconsciência, conforme se extrai do conceito de Locke (Singer, 2000). E é nesta acepção que afirma deva ser compreendido o conceito de pessoa.”

Ainda de acordo com Singer (2000):

É este o sentido do termo que temos em mente quando elogiamos alguém dizendo que ‘é muito humano’ ou que tem ‘qualidades verdadeiramente humanas’. Quando dizemos tal coisa não estamos, é claro, a referir-nos ao facto de a pessoa pertencer à espécie Homo sapiens que, como facto biológico, raramente é posto em dúvida; estamos a querer dizer que os seres humanos possuem tipicamente certas qualidades e que a pessoa em causa as possui em elevado grau.” (http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=9837)

A meu ver – assumo o risco de atribuição de identidade – Homem é um Ser Humano sem Alma e sem os Valores que caracterizam a Humanidade.

Humans

É neste contexto que surge o tema deste texto. Considero que o Homem se está a tornar um absurdo (‘que é contrário ao bom senso e racionalidade’) relativamente ao Ser Humano. A ausência crescente de Valores Humanos são a causa desse absurdo.

Assistimos com demasiada frequência a muitas irracionalidades do Homem por falta de uma Educação em Valores Humanos e de princípios orientadores que lhe dariam a dimensão de Ser Humano.

Infelizmente os exemplos são tantos e tão tristes nos campos da Educação, da Política, da Justiça, da Economia, das Finanças e de muitas outras áreas do saber, que estou seguro que os meus Leitores se lembrarão de casos concretos sobre o que estou a escrever. Temo que, na sua evolução, o Homem se transforme numa aberração da Natureza, tal é a descaracterização Humana que vem demonstrando.

A questão que me preocupa bastante é que não se está a fazer o suficiente para valorizar o Ser Humano e inibir o crescendo de atitudes e comportamentos irracionais e emocionalmente deploráveis, que o Homem provoca à Sociedade.

Todos nós sabemos que o equilíbrio dinâmico entre as Inteligências Racional e Emocional são um fator importante de harmonia em Sociedade. No entanto, temos assistido passivamente a fenómenos de corrupção, agressão, terrorismo, injustiça, ofensa, mentira descarada, etc.. Esta passividade está a minar os caminhos pacíficos da construção de um novo Paradigma Global, que se desdobrará em novos Paradigmas interdependentes e coerentes com o desenvolvimento Humano na nossa Biosfera.

A recente manifestação nos Estados Unidos a favor do controlo eficaz das armas e contra o livre acesso a armas de guerra, é um exemplo do absurdo que a política norte americana está a produzir na sociedade.

Outro exemplo aberrante é o caso da Justiça Brasileira, que julgou e condenou, em primeira e segunda instância o ex-presidente, e que corre o risco do Supremo Tribunal Federal, politizando o assunto, ‘produzir’ a libertação de um condenado.

Estes são dois casos entre muitos, por esse mundo fora, que acabam ‘destruindo’ o Ser Humano e o Futuro da Humanidade.

Problema dos Valores

Alfredo Sá Almeida                                                                                  25 de Março de 2018

A distorção de Valores Humanos

Valores errados

Muitos de nós nos admiramos do atual estado de relacionamento em sociedade. Sobretudo aqueles, como eu, que possuem Valores Humanos e os praticam com a naturalidade de um Ser Humano.

Não é só a ausência de Valores, ou a adesão a antivalores que conduzem a sociedade a uma desumanização. A Humanidade está doente porque são poucos a transmitir estruturadamente os Valores Humanos aos demais. Sobretudo na fase inicial da vida das crianças e dos jovens e na sua integração em sociedade.

A desumanização também é consequência de uma distorção dos Valores Humanos por ignorância, indiferença, negligência ou propósito desviante, daqueles que tudo fazem para atingir determinados objetivos sem olhar a meios.

O preconceito, a inveja, a arrogância, a ignorância e outras tantas características negativas da personalidade e do caráter das Pessoas conduzem normalmente a distorções nefastas para o bem-estar da sociedade.

Por outro lado, muitos detêm um poder que não se coaduna com o baixo Valor que possuem. Quando esse poder desproporcionado lhes ‘sobe à cabeça’ acaba distorcendo o sentido da vida da Humanidade, com atitudes e comportamentos típicos de uma falta de educação e de Valores Humanos.

Outros consideram que distorcer os Valores da Humanidade é uma atitude criativa, como se essa criatividade estivesse imbuída de Valor Coletivo.

Enfim, a permissividade excessiva também é resultado de uma tolerância elevada. Na vida do Homem não vale tudo. A Humanidade tem Valores que devem ser compreendidos, considerados e respeitados sob pena de nos perdermos como Seres Humanos.

Alfredo Sá Almeida 17 de Maio de 2018

Estará a Humanidade perdida?

Humanity

Penso que todos estaremos de acordo se dissermos que o Homem se encontra na fase de infância, considerando a sua evolução, desde há cerca de 200.000 anos, neste nosso Planeta que nasceu vai para 4,5 bilhões de anos.

Considerando que o planeta Terra ainda terá cerca de 4 a 5 bilhões de anos de vida (onde as condições de habitabilidade da Terra estão garantidas por mais cerca de 1,75 bilhão de anos), para depois ser consumido pelo sol em ‘agonia’, significa que o Homem terá tempo mais que suficiente para se transformar em Ser Humano e desenvolver a Educação da Humanidade.

Como toda e qualquer criança que acaba de nascer, uma boa alimentação, amor e carinho q.b., muitos cuidados e atenção, seguidos de uma Educação de qualidade para um bom desenvolvimento, são os pontos-chave para se transformar num adulto com Inteligência, Consciência, Personalidade e Caráter de um Ser Humano, dando assim continuidade à Humanidade.

Perante este cenário, sei que não tem sido isto que o Homem tem realizado até ao presente!

O historiador, cientista político e pensador Achille-Mbembé afirma, com segurança, que “A era do humanismo está terminando” (https://www.revistaprosaversoearte.com/achille-mbembe-era-do-humanismo-esta-terminando/). “Outro longo e mortal jogo começou. O principal choque da primeira metade do século XXI não será entre religiões ou civilizações. Será entre a democracia liberal e o capitalismo neoliberal, entre o governo das finanças e o governo do povo, entre o humanismo e o niilismo”, escreve Achille Mbembe. E faz um alerta: “A crescente bifurcação entre a democracia e o capital é a nova ameaça para a civilização”.

Mas, infelizmente, não ficamos por aqui! O neurocientista António Damásio advertiu que é necessário “educar massivamente as pessoas para que aceitem os outros”, porque “se não houver educação massiva, os seres humanos vão matar-se uns aos outros” (https://www.revistaprosaversoearte.com/sem-educacao-os-homens-vao-matar-se-uns-aos-outros-diz-neurocientista-antonio-damasio/).

Mas os Homens já se estão a matar uns aos outros há muitos séculos! Presentemente, as atitudes Humanas refinaram e matamo-nos indiretamente com o desleixo de atitudes e comportamentos. David Attenborough lembra-nos que é chegado o tempo de “It’s time we humans came to our senses” (https://www.newscientist.com/article/2165330-david-attenborough-its-time-we-humans-came-to-our-senses/).

Mas, será que vamos assumir uma postura de maior responsabilidade, com uma Consciência Coletiva que nos ajude a superar tantos erros?

Com os atuais líderes políticos e financeiros mundiais afigura-se uma tarefa bem difícil de superar!

A meu ver uma Cidadania Global imbuída de Valores Humanos ajudará na árdua missão de não permitirmos que o Humanismo morra, de nenhuma forma. A Cidadania Global tem a ver com Valores e Responsabilidades partilhadas.

Recomendo aos meus Leitores um estudo sobre este tema, pois revela-se da maior importância para a Humanidade. Há imensos artigos e textos sobre este assunto na internet. Recomendo para iniciar, estes dois:

  • “What is global citizenship?”
(https://www.weforum.org/agenda/2017/11/what-is-global-citizenship/)

“Por que a cidadania global importa?

Os cidadãos globais não nascem; Eles são criados. As crianças não têm uma compreensão inata da sua partilha humanidade; aprendem isto ao longo do tempo. A importância da educação e a habilitação das perspetivas globais não suavizadas.

Historicamente, a cidadania global estava enraizada em um desejo comum de evitar a guerra. Raciocínio comum foi que quanto mais sabíamos um do outro, mais provável seria garantir a paz, o progresso e a prosperidade. Mais recentemente, o projeto genoma humano nos mostrou — pela primeira vez na história humana — que cientificamente, Somos todos um.” (https://www.weforum.org/agenda/2017/11/what-is-global-citizenship/)

Human technology

(https://www.weforum.org/agenda/2018/01/it-s-time-to-bring-our-planet-back-from-the-brink-together-now/)

Se realmente nos importarmos uns pelos outros como Cidadãos Globais, partilhando os nossos Valores e contribuindo decisivamente para o desenvolvimento Humano, a era do Humanismo renascerá com mais força e o Homem transformar-se-á em Ser Humano.

Alfredo Sá Almeida                                                                                 25 de Abril de 2018

O Homem está a perder a razão em relação ao Ser Humano

Homem absurdo

Sob o ponto de vista filosófico Homem e Ser Humano não possuem a mesma identidade. Normalmente o termo Homem está mais associado à antropologia filosófica. “O que temos claro, todavia, é que nem sempre as concepções de ordem antropológico filosóficas estão em consonância com os próprios princípios bioéticos, bem como com as normas vigentes na ordem jurídica.” – Emerson Silva Barbosa.

Ainda, recorrendo ao excelente artigo de Emerson Silva Barbosa, intitulado “O conceito de homem, pessoa e ser humano sob as perspetivas da Antropologia Filosófica e do Direito” (http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=9837) publicado no Portal “Âmbito Jurídico” sob o tema Biodireito, podemos encontrar matéria muito interessante referente a Ser Humano.

“Conforme Singer (2000), Fletcher compilou uma lista daquilo a que chamou indicadores de humanidade, em que incluiu o seguinte:

a) Autoconsciência
b) Autodomínio
c) Sentido do futuro
d) Sentido do passado
e) Capacidade de se relacionar com outros
f) Preocupação pelos outros
g) Comunicação
h) Curiosidade

Dos indicadores apontados, destaca Singer que os elementos mais importantes seriam a racionalidade e a autoconsciência, conforme se extrai do conceito de Locke (Singer, 2000). E é nesta acepção que afirma deva ser compreendido o conceito de pessoa.”

Ainda de acordo com Singer (2000):

É este o sentido do termo que temos em mente quando elogiamos alguém dizendo que ‘é muito humano’ ou que tem ‘qualidades verdadeiramente humanas’. Quando dizemos tal coisa não estamos, é claro, a referir-nos ao facto de a pessoa pertencer à espécie Homo sapiens que, como facto biológico, raramente é posto em dúvida; estamos a querer dizer que os seres humanos possuem tipicamente certas qualidades e que a pessoa em causa as possui em elevado grau.” (http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=9837)

A meu ver – assumo o risco de atribuição de identidade – Homem é um Ser Humano sem Alma e sem os Valores que caracterizam a Humanidade.

É neste contexto que surge o tema deste texto. Considero que o Homem se está a tornar um absurdo (‘que é contrário ao bom senso e racionalidade’) relativamente ao Ser Humano. A ausência crescente de Valores Humanos são a causa desse absurdo.
Assistimos com demasiada frequência a muitas irracionalidades do Homem por falta de uma Educação em Valores Humanos e de princípios orientadores que lhe dariam a dimensão de Ser Humano.

Infelizmente os exemplos são tantos e tão tristes nos campos da Educação, da Política, da Justiça, da Economia, das Finanças e de muitas outras áreas do saber, que estou seguro que os meus Leitores se lembrarão de casos concretos sobre o que estou a escrever. Temo que, na sua evolução, o Homem se transforme numa aberração da Natureza, tal é a descaracterização Humana que vem demonstrando.

A questão que me preocupa bastante é que não se está a fazer o suficiente para valorizar o Ser Humano e inibir o crescendo de atitudes e comportamentos irracionais e emocionalmente deploráveis, que o Homem provoca à Sociedade.

Todos nós sabemos que o equilíbrio dinâmico entre as Inteligências Racional e Emocional são um fator importante de harmonia em Sociedade. No entanto, temos assistido passivamente a fenómenos de corrupção, agressão, terrorismo, injustiça, ofensa, mentira descarada, etc.. Esta passividade está a minar os caminhos pacíficos da construção de um novo Paradigma Global, que se desdobrará em novos Paradigmas interdependentes e coerentes com o desenvolvimento Humano na nossa Biosfera.

A recente manifestação nos Estados Unidos a favor do controlo eficaz das armas e contra o livre acesso a armas de guerra, é um exemplo do absurdo que a política norte americana está a produzir na sociedade.

Outro exemplo aberrante é o caso da Justiça Brasileira, que julgou e condenou, em primeira e segunda instância o ex-presidente, e que corre o risco do Supremo Tribunal Federal, politizando o assunto, ‘produzir’ a libertação de um condenado.

Estes são dois casos entre muitos, por esse mundo fora, que acabam ‘destruindo’ o Ser Humano e o Futuro da Humanidade.

Problema dos Valores

Alfredo Sá Almeida                                                                                     25 de Março de 2018