Voltando à dimensão da Liberdade – Pensamentos.

Ser Livre

Dar corpo à Liberdade.

  • As consequências da sua utilização só poderão ser positivas, caso contrário não é Liberdade.
  • A Liberdade que cada Ser Humano dá corpo contribui para definir a Pessoa.
  • A Liberdade de cada UM não tem uma dimensão infinita mas o seu pensamento e consciência podem ultrapassar várias dimensões, quando se transformam em criatividade e inovação.
  • Qual é a dimensão da sua Liberdade? Se ela não pode ser infinita, em que dimensão você está envolvido?
  • Se a Liberdade é um Valor Humano como justifica a sua utilização para dar corpo a Antivalores?
  • A Liberdade como o Amor são Valores primordiais do Ser Humano. Como é possível o Homem permitir que esses Valores sejam utilizados para fazer o MAL?
  • Nenhum Valor Humano é um Valor absoluto. É sempre relativo a um Ser da nossa comunidade.
  • Se até a Vida Humana tem limites, como é possível não compreender que um determinado Valor Humano não os tenha? A dimensão pode ser enorme se o Coletivo os alargar. No entanto, o Homem não poderá esquecer o equilíbrio dinâmico da Vida da Comunidade.

Alfredo Sá Almeida                                                                        20 de Maio de 2017

Futurismo sem Valor Humano

futuristic-giant-robot-720P-wallpaper

Nos dias de hoje, assistimos com muita frequência a uma proliferação de ‘Futuristas’ que são capazes de vislumbrar um futuro para os Seres Humanos, dependendo da evolução da tecnologia que se encontra em fase de investigação e desenvolvimento. Interessante esta postura de pessoas inteligentes capazes de traçar uma ‘linha reta’ na evolução do Homem com o desenvolvimento da tecnologia. Esquecem-se continuamente do que sentem a maioria das Pessoas acerca da utilização da tecnologia e do que gostariam de SER.

O mais grave é o facto de esses Futuristas terem uma influência junto de empreendedores da indústria tecnológica, orientando-os e conduzindo-os no negócio e na introdução desses gadgets no mercado.

O Ser Humano possui uma multidimensionalidade tal, na sua vivência em sociedade, nas suas necessidades várias e simultâneas e na sua vontade de viver e sentir que considero abusivo imporem toda e qualquer tecnologia, que irá modificar a sua vida, para seu ‘consumo’ de utilizador quando a grande maioria não tem as condições de satisfazer as suas necessidades básicas, mas é capaz de se ‘viciar’ nessa nova tecnologia de consumo (que vai ficar obsoleta num ano). Esse estado viciante irá provocar nessas Pessoas alterações comportamentais capazes de permitir um bypass ao essencial para se focarem nos novos gadgets.

A meu ver, isso representa mais um acto de violentar a vontade das Pessoas, apelando ao seu lado alienante, frustrante e dependente de ‘qualquer coisa’.

Gostava de ver esses Futuristas a preocuparem-se mais com as vontades legítimas e carências de Pessoas com sentimentos nobres, e saberem cativá-las para um Futuro mais humano e de igualdade de oportunidades. Muitos fazem-me lembrar vendedores de ‘banha da cobra’, capazes de encontrar os melhores argumentos para afirmar que aquelas tecnologias, que vão modificar o futuro das Pessoas, são o melhor que lhes podia acontecer. Afinal qual é a tecnologia que não dá um melhor futuro às Pessoas? Pois, pois! Quando se derem conta e tomarem a devida consciência do que permitiram que modificasse a sua vida, sem que possam voltar atrás, já será tarde de mais e requererá um esforço hercúleo para desfazer o que foi construído, com a indiferença da maioria.

As tecnologias e a investigação científica na área da saúde têm sido das que mais servem os desígnios do Futuro do Ser Humano.

Pergunto-me constantemente, que Valor Humano possuem esses Futuristas e essas outras tecnologias? Gostaria de salientar que eu sou um aficionado da utilização de algumas tecnologias e que já as consegui ‘incorporar’ rotineiramente na minha vida sem alterar a minha maneira de ser.

Vejo muita gente a vender de TUDO, desde armas sofisticadas, a gadgets tecnológicos, a comprimidos para emagrecer, a pílulas para rejuvenescer, ou, mesmo cápsulas para não envelhecer nem morrer, a bonecas sexuais realistas, a realidade virtual com jogos de violência extrema, etc. TUDO é permitido neste ‘mundo cão’ até perder o total respeito pelo Ser Humano e permitir que ele se aliene da realidade de SER o que gostaria de ser, sem nunca ter a oportunidade de uma Educação adequada à sua Pessoa.

Que Pessoas seremos no ano 2100 se não tomarmos consciência do nosso Futuro hoje?

Alfredo Sá Almeida                                                                     6 de Abril de 2017

Dar Valor a …

Dar Valor2

Uma grande vantagem de uma Sociedade baseada no Valor Humano é que você não o poderá dar em numerário.

A única maneira de poder dar Valor a alguém que necessita, só poderá ser através de comportamentos e atitudes que ‘alberguem’ Valores Humanos. Esta é a forma correta de se ganhar Valor Humano dando algo de você.

Considero que o Homem teria muito a ganhar pela não existência de dinheiro e pela prática de um imperativo de Valor Humano. A meu ver, esta seria uma forma excelente de se poder transformar em Ser Humano. A Humanidade seria a primeira beneficiária deste novo modo de aplicar o universo dos Valores.

A facilidade com que, nos dias de hoje, se dá dinheiro a alguém, muitas das vezes sem saber verdadeiramente se estamos a contribuir para uma valorização dessa Pessoa, pode até fazer corresponder a uma perda de Liberdade de quem recebe.

Em contraste, a dificuldade em ajudar a valorizar, verdadeira e intrinsecamente, alguém necessitado é enorme e encontra muito poucos adeptos sinceros. O esforço requerido para este processo não se coaduna com a vida atribulada e stressante atual. A falta de tempo e/ou dinheiro são argumentos comuns que justificam o ‘aprisionamento’ indevido em que se está envolvido.

Penso que o meu Leitor estará de acordo comigo quando afirmo que o dinheiro tem contribuído significativamente para uma perda sistemática de Valores Humanos. A facilidade com que atualmente se ‘compra’ algo intangível, contrasta com a forte perda desses Valores.

Muitas Pessoas acabam deturpando o sentido do pragmatismo com a atitude leviana de dar em numerário. Acabam desvalorizando ao dar.

Dar Valor1

Alfredo Sá Almeida                                                                                    31 de Agosto de 2016

Se…

Rudyard Kipling

Quando se está em fase de planear o Futuro é comum estabelecermos vários cenários. Estes são uma condição para diminuir a incerteza.

A Sociedade atual vive com muitos Ses porque está demasiado condicionada a referenciais que ‘aprisionam’ o interveniente. Por outro lado, com a perda constante de Valores Humanos o condicional tende a aumentar substancialmente.

Lembram-se do brilhante poema If (Se) de Rudyard Kipling (1895) [Prémio Nobel da Literatura em 1907]?

As condições para se SER um Homem eram tantas que o poema só poderia terminar, dizendo (Tradução Féliz Bermudes):

“…

Pairando numa esfera acima deste plano,

Sem receares jamais que os erros te retomem,

Quando já nada houver em ti que seja humano,

Alegra-te, meu filho, então serás um homem!”

A verdade é que as condições colocadas (caso as consiga cumprir) são excelentes conselhos para a formação de um caráter.

Mas quero transmitir-vos que a causa que tenho vindo a defender, uma Sociedade de Valor Humano, situa-se numa ‘esfera’ bem diferente da dimensão desse poema.

Os Valores Humanos quando bem interiorizados permitem-nos graus de liberdade nunca experimentados pelo Ser Humano. A razão está relacionada com a incondicionalidade como devem ser vividos esses Valores.

Lembremos alguns deles: Amor, Altruísmo, Amizade, Bem Comum, Cidadania, Civilização, Civismo, Comunidade, Consciência, Cultura, Dignidade, Educação, Esperança, Ética, Felicidade, Humanização, Idealismo, Igualdade, Justiça, Liberdade, Solidariedade.

Sugiro ao meu caro Leitor que experimente viver cada um deles INCONDICIONALMENTE. Se o fizer verificará que passará a viver numa ‘esfera’ bem acima daquela que atualmente vive. Com uma diferença substancial da mencionada no poema – estará na dimensão do Ser Humano.

Caso a Sociedade, no seu todo consiga esta proeza de viver INCONDICIONALMENTE os seus Valores Humanos, com confiança, genuinidade e entrega, então cada um destes VALORES terá a dimensão que corresponderá àquilo que o Homem sempre desejou para uma Sociedade de Valor.

Alfredo Sá Almeida                                                                                    21 de Agosto de 2016

Mundo fechado versus Mente aberta

WWW-Net

 

Todos nós vivemos num Mundo vasto e diversificado que julgamos ser um sistema aberto, mas na realidade todos os sistemas, sejam naturais ou artificiais, funcionam em ciclos fechados e com tendência a serem finitos.

O fenómeno mais recente e que tem vindo a abrir a Consciência das Pessoas, é o do aquecimento global. Todas as ‘malfeitorias’ ambientais, como a poluição atmosférica e o lixo produzido pelo Homem, acabam por ter os seus efeitos nefastos e refletem-se sobre a vida e equilíbrio do Planeta. Não dá para ignorar. O Homem tem de se tornar sustentável, caso contrário acabamos com a vida na Biosfera.

Sejam os Ciclos da Água, do Oxigénio ou dos Alimentos, elementos sem os quais não conseguimos viver, encontram-se em funcionamento em circuito fechado.

O mesmo se passa com as atitudes e comportamentos Humanos. Durante muitas centenas de anos contribuímos para o desequilíbrio da Humanidade com Guerras e armas de destruição maciça.

Agora, estamos a dar os primeiros passos no Mundo Globalizado: Conhecimento, Informação e Comunicação, Investigação, Sistema Financeiro, etc.

Começamos, então, a verificar e a aumentar a nossa Consciência e Inteligência Coletivas para esta nova realidade, e nas repercussões que os bons ou maus resultados que produzimos diariamente acabam por se refletir na nossa vida futura.

Para comprovar aquilo que afirmei, relembro o que se está a passar com o Sistema Financeiro Mundial. Todas as malfeitorias que este sistema realiza repercutem-se sobre TODOS nós indevidamente, apesar de apenas alguns tirarem o proveito e manipularem o sistema.

Estamos a aprender o Mundo Global e a ganhar Consciência, e consequentemente a aguçar a nossa Inteligência, que vivemos num Mundo fechado sobre si mesmo. Tudo o que aqui se passa acaba por ter reflexos mais ou menos sérios sobre as nossas vida e a nossa Felicidade.

Pois bem, o único sistema que não se encontra fechado é o da Mente Humana. Sobre este, temos o poder de o expandir ou manter na obscuridade. Só uma Mente Aberta ao Mundo Global, ao Conhecimento, à Informação e Comunicação, nos permitirá (ou não) expandir e libertarmo-nos destes ciclos fechados, que pensamos que nos aprisionam.

Mas, para que constituam uma expansão da Mente, e consequentemente uma expansão da Consciência e Inteligência Coletivas, sem os efeitos nefastos dos outros Ciclos que adulterámos, devemos refletir positivamente e aplicar novas soluções de Vida em Sociedade que contribuam para uma sustentabilidade funcional a longo prazo. Sem esta, andaremos de ciclo em ciclo até à derrocada final.

Pena é, que sendo um raciocínio tão lógico e aceitável, tão poucos de Nós queiram praticá-lo e adotá-lo na sua vida.

Aos poucos (de forma mais lenta que desejado) vamos ganhando Consciência e as mudanças vão chegando, com algum receio, e consolidam-se positivamente.

Quero dar-vos conta de uma nova realidade que está tomando forma paulatinamente, e que devemos manter uma Mente Aberta e saudável para expandirmos todos os dias estas novas atitudes e comportamentos, que nos poderão conduzir a um Futuro sustentável. Aproveito para transcrever uma parte de um texto de Gustavo Tanaka no site Colletively Conscious (http://collectivelyconscious.net/articles/something-extraordinary-is-happening-in-the-world-and-most-people-havent-noticed/) que nos relata matérias para as quais não estamos atentos:

“A maioria de nós ainda não percebeu que algo extraordinário está a acontecer.

Há alguns meses, eu me libertei da sociedade tipo padrão. Eu quebrei as correntes do medo que me manteve trancado no sistema. Desde então, eu vejo o mundo de uma perspetiva diferente: a de que tudo está passando por mudanças e que a maioria de nós não têm conhecimento disso.

Por que o mundo está mudando? Neste post, vou apontar as oito razões que me levam a acreditar.” – Gustavo Tanaka:

  • Ninguém pode resistir ao atual modelo de emprego por mais tempo.
  • O modelo de empreendedorismo também está mudando.
  • O aumento da colaboração.
  • Estamos finalmente a descobrir o que é a Internet.
  • A queda do consumismo exagerado.
  • Uma alimentação saudável e orgânica.
  • O despertar da espiritualidade.
  • Tendências da Não-escolaridade vigente.”

 

A meu ver, devemos estar mais atentos ao que de positivo se passa no Mundo Globalizado de hoje, pois nós poderemos dar um contributo importante para as boas mudanças que resultarão no nosso Futuro Coletivo.

Como sabem, eu tenho vindo a defender um aumento significativo do Valor Humano e um sistema Educacional que integre conscientemente os Valores Humanos na Educação formal para TODOS. Em simultâneo defendo o afastamento, definitivo e efetivo, do Sistema Financeiro Internacional da vida económica e da nossa Vida Futura.

Estas mudanças, se efetuadas com uma Mente Aberta para um Futuro Sustentável, contribuirão significativamente para uma Humanidade de Valor.

Mente aberta1

Alfredo Sá Almeida                                                                                        14 de Julho de 2016

 

 

Consciência e Futuro Coletivos dão coerência ao Valor Humano

Universo - Mapa da matéria negra

Legenda: Mapa da matéria escura do Universo (Credit: Volker Springel/Max Planck Institute for Astrophysics/SPL)

O dia 24 de Junho de 2016 ficará na História da Humanidade como um dos mais tristes resultados da falta de Inteligência, Consciência e Futuro Coletivos do Homem. Este facto deve-se a uma vitória política dos defensores do BREXIT no Reino Unido, que defendem a saída da União Europeia, demonstrando uma falta de coerência entre os Estados que constituem o Reino Unido. Pois, pelo que nos é dado conhecer, quer a Irlanda do Norte, quer a Escócia ponderam abandonar o Reino Unido e juntar-se à União Europeia.

A Inteligência Humana possui várias dimensões, que poucos de nós conhecemos a sua extensão. Já ouvimos falar das Inteligências Racional, Emocional, Espiritual e Social, mas esquecemo-nos frequentemente doutras dimensões que estão relacionadas com a nossa realidade gregária e Social. Todos nós, Seres Humanos, possuímos uma Consciência do mundo que nos rodeia. No entanto, a grande maioria está focada na Consciência de Si, como Seres de uma espécie inteligente.

Os sistemas Educacionais, a Política e a Justiça dos diferentes Estados não têm contribuído para o desenvolvimento das Consciência e Futuro Coletivos dos Cidadãos.

Verificamos com tristeza que estes sistemas se aperfeiçoaram mais no desenvolvimento do egoísmo em detrimento do bem comum, e, no bem-estar pessoal em detrimento do Coletivo.

Ora, a Inteligência Humana possui uma dimensão bem maior que a do próprio Ser individual. É comum falarmos nos desígnios de um Povo e das batalhas que se travam para a expansão das ideias que passam a abranger outros Povos. O mundo atual tem passado por profundas adaptações na ‘construção’ de uma Globalização planetária. Verificamos que os propósitos utilizados para esta Globalização não são, nem os mais adequados nem os corretos para UNIR os Seres Humanos numa verdadeira Globalização de Valores. Frequentemente a tendência desta está focada em valores de natureza financeira.

A Globalização que tenho vindo a referir, a defender e a desenvolver prende-se com a dos Valores Humanos Universais e a da construção de um Valor Humano onde a Consciência e Inteligência Coletivas se congregam numa coerência de Futuro Coletivo.

O Ser Humano tem ‘arquitetura’ suficiente para albergar uma coerência de Futuro Coletivo como espécie, mas por razões de fraca inteligência não são desenvolvidas nem valorizadas.

Muito recentemente, Melissa Hogenboom (24 de Agosto de 2015) escreveu um artigo interessantíssimo no site da BBC Earth “What is our Universe made of?“ (http://www.bbc.com/earth/story/20150824-what-is-the-universe-made-of?ocid=fbert) que nos pode ajudar nesta construção da Consciência e Inteligência Coletivas. Com base nele vou construir a minha argumentação.

O Homem tem um conhecimento muito reduzido do nosso Universo, das leis que o governam e da influência que tem no desenvolvimento da nossa mente. No entanto, a curiosidade científica Humana tem-se expandido a um ritmo elevado nas últimas décadas, conduzindo-nos a um maior conhecimento do Universo onde estamos inseridos.

“Se um alienígena conseguisse visitar o nosso Universo a partir de uma realidade paralela, existe uma forte probabilidade de eles nem conseguirem perceber que existimos.

De certa forma isso é óbvio: o Universo é enorme e o nosso planeta é apenas um pequeno e pálido ponto azul. Mas é pior do que isso: os alienígenas podem até não perceber todas as estrelas e os planetas que as orbitam. Eles poderiam até mesmo perder as vastas nuvens de poeira que flutuam no espaço.

Todas essas coisas familiares constituem apenas uma fração da matéria no nosso Universo. O resto é outra coisa, um material que ninguém na Terra já viu.

Por falta de um nome melhor, os físicos chamam a este material “matéria escura”. Se esta não estivesse lá, as galáxias dispersar-se-iam. Ninguém sabe o que é, mas os físicos estão focados na sua pesquisa.” – Melissa Hogenboom.

Apesar do conhecimento que o Homem possui do Universo ser limitado, este vai construindo uma coerência científica, à medida que as investigações vão avançando, permitindo-nos compreender a sua estrutura e as leis que o regem.

No meu livro “Despertar para o Futuro” (2014) e no texto ‘Neurociências e a mente Humana’ afirmei: “Lembremo-nos que 90% deste nosso Universo é constituído por matéria escura e vazio de qualquer conteúdo, em contraposição com o interior do nosso cérebro e a capacidade da mente Humana. Ora, VAZIO e VIDA estão em universos opostos e sem possibilidade de coexistirem integrados no mesmo espaço-tempo.” – Alfredo Sá Almeida.

Todos aqueles que defenderam e deram a vitória ao BREXIT demonstraram possuir níveis muito baixos de Consciência e Inteligência Coletivas, querendo sair da União Europeia. Um projeto de construção coletiva de uma União de Países é sempre mais importante e coerente que o isolamento dessa comunidade.

Dir-se-ia neste caso, que nem a ‘matéria escura’ foi capaz de manter a coesão e a coerência de um projeto comum, apesar de sabermos muito pouco sobre ela.

Isto coloca uma parte de nós num percurso contrário ao conhecimento coerente deste Universo multifacetado. Seres que preferem isolar-se da comunidade porque se consideram capazes de fazer melhor sozinhos. Sabemos que a diversidade de ideias e opiniões é importante para o desenvolvimento da Inteligência, mas a rutura e isolamento de uma parte da comunidade não constroem Consciência e Futuro Coletivos. Para que estas sejam uma realidade temos de saber qual é a ‘matéria escura’ que nos une, mesmo que não conheçamos todos os detalhes.

Significa isto que o Reino Unido deu maior importância a argumentos financeiros e de imigração, de muito fraco valor na escala do Valor Humano. Significa ainda que a degradação de Valores Humanos que se tem verificado ao longo das últimas décadas está a produzir frutos ‘amargos’ em vez de Futuro dinâmico e coerente.

O Homem encontra-se numa fase de desenvolvimento Social e Global, onde possuir uma Consciência e Inteligência Coletivas representa sabedoria, coerência e conhecimento das dimensões capazes de manter a coesão de uma espécie que se diz inteligente.

A construção de um Futuro Coletivo, em paz e dinâmica de conhecimento, dependem fortemente das componentes de Consciência e Inteligência Coletivas.

Alfredo Sá Almeida                                                                                            24 de Junho de 2016

O Homem habita uma nova Terra!

Terra - Kepler 452b

Caros Leitores vou lançá-los num desafio de Futuro, que os conduzirá (espero eu) a um compromisso importante com o planeta Terra e com a Vida numa Sociedade Global, sustentável e de Valor Humano.

Apesar do Homem ser uma espécie preponderante neste nosso Planeta, a verdade é que tem tido comportamentos e atitudes indignas da sua espécie e para com as outras espécies que habitam a Terra.

Não temos um sistema de Valores Humanos universal, assumido como importante e essencial para o nosso Futuro, e estamos algo longe de nos tornarmos Seres Humanos com Valor.

O planeta que habitamos tem sido encarado como um recurso inesgotável e utilizado desregradamente para satisfazer todos os ‘vícios’ do Homem, sem pensar coerentemente nem no seu Futuro nem no do Planeta.

Esta é uma triste realidade, que alguns Homens têm tentado resolver sem sucesso, apesar do grau de Conhecimento e Inteligência que atingimos.

Em meados de 2015 “A agência espacial norte-americana NASA anunciou a descoberta de um exoplaneta a 1400 anos-luz de distância de nós, na constelação do Cisne, que anda à volta de uma estrela idêntica ao Sol e a uma distância aproximada à que separa a Terra do Sol.” (https://www.publico.pt/ciencia/noticia/nasa-anuncia-descoberta-de-planeta-semelhante-a-terra-1702954)

Esta é uma notícia que colocaria qualquer Homem feliz e esperançoso com o Futuro. Mas será assim tão fácil ficar com esse otimismo?

Vejamos a situação com racionalidade. Imaginemos que:

  1. O Planeta Kepler-452b tem condições de habitabilidade para a espécie Humana;
  2. O Homem tem capacidade de realizar uma viagem de 1400 anos-luz em menos tempo;
  3. Apesar de esse tempo representar 56 gerações, o que implicaria uma viagem com várias famílias e muitos nascimentos a bordo na nave interestelar, implicará uma organização da sociedade em viagem capaz de lidar com a Educação de todas as crianças nascidas durante a viagem;
  4. Chegados ao novo Planeta o Homem não encontrará um ambiente hostil, por parte das espécies que eventualmente o habitem;
  5. Existem todas as condições de vida Humana e de recursos essenciais à Vida.

Bem, o que acabo de descrever quase parece um paraíso! Mas é um paraíso semelhante à Terra! Será que o Homem estará preparado para habitar esse paraíso?

Para o efeito recomendo uma visita cuidada a este sites que nos explicam toda a realidade sobre a descoberta deste novo planeta Kepler-452b:

  1. http://www.sciencechannel.com/tv-shows/nasas-unexplained-files/nasas-unexplained-files-videos/can-we-move-to-earth-2-0/
  2. https://www.youtube.com/watch?v=fdksRkeBcNU
  3. https://www.youtube.com/watch?v=-e_ztHBcqJo
  4. http://www.nasa.gov/keplerbriefing0723

O Homem tem um comportamento muito estranho neste Universo e neste Planeta onde nasceu. Por um lado, não conhece quase nada, por outro não respeita quase nada nem ninguém. Apesar de, ainda não ter a certeza se está sozinho no Universo, de viver num planeta paradisíaco e de ter todas as condições de habitabilidade, procura incessantemente encontrar outro planeta com condições semelhantes àquele onde vive. Estranha atitude! Além disso, está preocupado em encontrar vida extraterrestre! Como se já tivesse a sabedoria de como lidar adequadamente com as outras espécies com quem convive.

Bom, não vamos perder mais tempo com um cenário que conhecemos muito bem, mas que não fazemos NADA para o alterar para melhor.

O meu objetivo é outro!

Imaginemos que o Homem está preparado (?) para realizar uma viagem com sucesso a este novo Planeta, e, que este terá todas as condições de habitabilidade.

Significa isto que o Homem já delineou, já preparou, já planeou, já previu, já sabe minimamente como vai atuar na viagem e quando desembarcar no novo planeta.

Mentira! Não sabe nada, nem pode preparar nada com tanto detalhe! Não se esqueça o meu Leitor que a viagem vai decorrer durante 1400 anos (se for capaz de viajar à velocidade da luz).

Basta analisarmos o que se passou nos últimos 1400 anos da História do Homem, para sabermos que o Homem está muito longe de poder preparar e estar preparado para o que acontecerá daqui a 1400 anos. Isto é tanto mais verdade se mantivermos esta nossa atitude arrogante e gananciosa, de predador insaciável, que temos mantido até agora.

O mais grave é que sabemos que não estamos preparados para uma viagem tão longa, mas mesmo assim não nos preparamos para uma viajem dentro do nosso Planeta, em Sociedade Global, para ultrapassar os milénios que se seguem. Não nos podemos esquecer que o nosso Planeta viaja a uma velocidade estonteante (http://terraquegira.blogspot.pt/2008/04/terra-gira-em-torno-do-sol-107.html) por este Universo fora, connosco dentro, mas NÓS não estamos no comando desta nave (e ainda bem, senão seria um desastre maior).

Como será possível, o Homem:

  1. Que trata tão mal a Educação das suas crianças e jovens, ter capacidade para orientar e dirigir o Futuro do planeta?
  2. Não ter sido capaz de definir e defender os Valores Humanos universais, mas ter definido com muito pouca ética um sistema de valor monetário, que se aplica a TODOS (sem exceção), mesmo que não esteja de acordo com ele?
  3. Liderar Populações e desígnios de Estado, com sentido de Futuro, se o principal meio utilizado é o da força e da repressão, com uma ameaça constante de guerra?
  4. Não ser capaz de aplicar os Valores Humanos na Educação, a nível global, mas querer mais e mais envolver as Pessoas num sistema financeiro podre e caduco, sem ética e sem valor?

Eu gostaria que o Homem fosse capaz de se transformar de forma coerente em Ser Humano, aplicando constantemente os Valores Humanos, na Vida em Sociedade, na Educação e no nosso Futuro.

Relembro ao meu caro Leitor um texto que escrevi, em Setembro de 2015, intitulado “O propósito do Valor Humano” (https://saalmeida.wordpress.com/2015/09/04/o-proposito-do-valor-humano/) que estou seguro o ajudará a compreender o que quero dizer com Valor Humano.

“Significa isto que deveríamos TODOS encontrar o denominador comum que permita unir a nossa espécie em torno de princípios fundamentais não permissivos com os Antivalores, sem que isso constitua uma forma de preponderância inaceitável.

Afinal, o Valor Humano é a transcendência da VIDA.” – Alfredo Sá Almeida

Quando formos capazes, como espécie, de possuir uma dinâmica positiva de Valor Humano em Sociedade, estaremos preparados para qualquer viagem milenar ou não, com maiores garantias de sucesso e sem ficarmos obsoletos.

Alfredo Sá Almeida                                                                                     10 de Junho de 2016