O Dinheiro ou a Vida.

carater-perdido

Esta é uma frase típica de um assalto. Infelizmente muitas Pessoas são assaltadas todos os dias, do qual resulta algum dano ou perda para o assaltado. Normalmente causa revolta e raiva porque a vida ficou em risco e o dinheiro custa muito a ganhar.

Mas se a interrogativa indireta colocada passar a ser uma interrogativa direta?

O Dinheiro ou a Vida? A Pessoa não deixa de ter de tomar uma decisão importante. Só que nesta situação poderá existir mais tempo para ponderar as alternativas, refletir e escolher o caminho de vida que quer seguir.

Pode até acontecer que num futuro, não muito longínquo, a questão colocada seja ainda mais grave: A Água ou a Vida? Neste caso estamos perante uma situação extrema porque não existe Vida sem Água. E, a resposta só pode ser uma.

No dia-a-dia desta nossa vida, pessoal ou profissional, quantas vezes somos colocados perante questões que não têm alternativa. Somos conduzidos por Pessoas (?) a tomar decisões, mais ou menos rápidas, que nos afetam a vida e, muitas vezes, o futuro e os sonhos de uma vida.

Os meus Leitores dirão: mas isso não deveria ser permitido! Pois é, mas acontece com mais frequência que o desejado. A liberdade passa a estar condicionada e com ela a Vida e a sua condução para o futuro.

Quando e como é que nos deixámos envolver, ludibriar, enganar, etc. até ao ponto de perdermos a Liberdade, a Dignidade e a Autoestima? Vou arriscar uma resposta polémica! A partir do momento em que nos deixámos dominar pelo Dinheiro!

Tantas vezes fomos roubados e enganados, que deixámos de acreditar no caráter das Pessoas.

Por maior Valor Humano que alguém possua, estas situações não deixarão de o afetar. Então é chegado o momento de tomarmos opções de Vida que nos permitam manter o Valor sem afetar o caráter.

Esta é a reflexão que deixo aos meus caros Leitores: O Dinheiro ou a Vida? Qual a sua escolha para o Futuro?

Atenção, tem de optar por uma das vias (e só por uma). Pois a via que hoje vivemos é uma mistura destas duas vertentes com um claro desequilíbrio a favor do dinheiro e em detrimento da Vida.

Alfredo Sá Almeida                                                                              1 de Fevereiro de 2017

Características do Valor Humano comparadas com o valor do dinheiro

Futuro Coletivo versus Panico

 

“Esta é uma tarefa difícil de realizar por serem dois referenciais muito distintos. No entanto, uma vez que decidi desenvolver o tema do Valor Humano, que exclui o valor do dinheiro, vou construir esta comparação do modo mais leal e justo possível, dadas as diferenças de conceito e implicações na estrutura social.

Assim, convém relembrar as principais características de cada um:

Valor Humano

Valor do dinheiro

1.      Não pode ser emprestado; 1.      Pode ser emprestado;
2.      Não pode ser dado; 2.      Pode ser dado, com condições;
3.      Não vence juros; 3.      Vence juros consoante as condições;
4.      Não é possível obter crédito de Valor; 4.      É possível obter crédito para várias condições;
5.      Apenas pode ser trocado por produtos, serviços ou formação extra; 5.      Pode ser trocado por tudo o que se possa comprar;
6.      Pode ser utilizado em actos futuros de renovação de infraestruturas e de desenvolvimento humano; 6.      Pode ser utilizado em actos futuros de renovação de infraestruturas, mas sem valorização devida do desenvolvimento humano;
7.      É possível utilizar Valor excedentário da própria Pessoa, em investimentos criativos (arte, cultura), produtivos (fábricas, oficinas, etc.) e empresariais (agrícolas, serviços, formação, saúde, justiça, segurança, etc.) ou, em desenvolvimento humano e ambiental, projetos que sejam potenciadores de Valor para o próprio, ou, outras Pessoas que adiram. 7.      É possível utilizar Valor excedentário da própria Pessoa, em tudo o que se possa imaginar, incluindo gerar mais dinheiro para o próprio sem acrescentar mais valor social.O desenvolvimento humano e ambiental é encarado como um negócio que deve dar lucro e manter as desigualdades entre ricos e pobres.

Por estas características principais podemos ver a grande diferença de estrutura e de Valor concreto.

Mas as diferenças ainda se acentuam mais quando verificamos os efeitos do valor do dinheiro sobre os Valores Humanos e respetivos Antivalores. Estamos perante um sistema cujo propósito não é o desenvolvimento implícito de Valores Humanos, mas sim de valores negociais geradores de lucro para quem investe, relegando o Valor Humano para um plano inferior.

A finalidade principal do dinheiro é a de gerar lucro que não representa Valor Humano. O Valor Humano NÃO É DINHEIRO, É VALOR CONCRETO. O valor do dinheiro tem uma componente virtual muito grande.

Valores Humanos

Antivalores

Efeitos verificados pelo valor do dinheiro:

Amor

Ódio

Convenhamos que o dinheiro pela sua natureza tem probabilidade de gerar mais ódio do que amor.

Altruísmo

Egoísmo

Neste caso, verificamos que o dinheiro gera sobretudo mais egoísmo.

Amizade

Discórdia

Apesar de poder gerar mais amizade, se utilizado com valor humano, de outro modo causará discórdia pela natureza das condições que lhe estão associadas.

Empatia

Frieza

A empatia gerada pelo dinheiro é praticamente nula.

Bem Comum

Indiferença

Apesar de poder ser utilizado para o bem comum, grande parte das vezes é usado com muita indiferença, pois é encarado como um negócio que deve gerar lucro.

Cidadania

Exclusão social

Todos nós sabemos que pela sua natureza o dinheiro gera muita exclusão social dadas as condições em que é atribuído.

Civilização

Subdesenvolvimento

A nossa civilização foi fundada pelo poder do dinheiro. Por aqui podemos ver com clareza o grau de subdesenvolvimento que gerou ao longo de séculos de utilização.

Civismo

Desrespeito

Apesar de ser um sistema que requer muito civismo, verificamos que em muitas situações (mais do que desejadas) gera desrespeito pela atitude arrogante, por vezes gananciosa, com que é utilizado.

Comunidade

Isolamento

Este é um caso paradoxal, pois pode gerar espírito de comunidade, desde que todos (ou uma grande maioria) estejam em sintonia com o valor do dinheiro e utilizem as mesmas práticas. Caso contrário, provocará o isolamento daquela parcela de comunidade que não comungue desse valor.

Consciência

Inconsciência

Impossível comparar a consciência do dinheiro com a consciência do Valor Humano.

Cultura

Ignorância

A cultura baseada no dinheiro utiliza, em determinadas situações, um segredo como ‘alma’ do negócio que não abona muito a favor de abertura cultural, mas mais de ignorância para os que estiverem fora do negócio.

Dignidade

Indignidade

A meu ver o dinheiro, tal como está instituído atualmente em sociedade, tem muito pouco de digno e é causador de muita indignidade.

Educação

Grosseria

Esta é uma característica em que o valor do dinheiro, mais do que o desejado, gera muita grosseria pelo facto de ser utilizado por Pessoas pouco educadas. Por outro lado, podemos constatar que a própria educação é encarada como um negócio, como tal não se destina a todos, mas apenas aos que podem pagar por ela.

 

Valores Humanos

Antivalores

Efeitos verificados pelo valor do dinheiro:

Esperança

Desilusão

Apesar de inicialmente, o dinheiro ser causa de muita esperança projetada, acaba por causar muita desilusão pelas condições, grande parte das vezes draconianas, dos juros dos empréstimos e pela rigidez processual dos contratos, não tendo em linha de conta situações de imprevisibilidade.

Ética

Corrupção

Convenhamos, pela prática a que se chegou na atual crise financeira, que o dinheiro de ético tem muito pouco. Nos círculos financeiros fechados nada transpira em abono da ética.

Felicidade

Tristeza

Apesar de haver estudos recentes cujos resultados mostram que o dinheiro desencadeia maior felicidade pessoal, verificamos pela prática comum que provoca muita tristeza àqueles que o não têm (e que são a grande maioria) ou que possuem pouco, na vida do dia-a-dia.

Humanização

Desumanização

Nesta característica, estou em crer que pela Humanização constatada, o dinheiro não foi o principal ator. A desumanização crescente que temos assistido na sociedade atual tem mais que ver com a diferença entre ricos e pobres, do que uma diferença entre uma pessoa com mais valor humano que outra.

Idealismo

Materialismo

No caso do dinheiro impera o materialismo, apesar de em situações em que exista em abundância, possam surgir situações de um idealismo condicionado na sua aplicação.

Igualdade

Desigualdade

Todos nós sabemos que o dinheiro é causador de muita desigualdade na sociedade atual, dadas as condições em que é aplicado.

Justiça

Injustiça

Apesar do dinheiro estar baseado num sistema de justiça próprio, sabemos que é causador de muitas injustiças (vejamos o exemplo das falências dos bancos).

Liberdade

Escravidão

Deixo esta característica ao juízo dos leitores, para avaliarem se o dinheiro, no global, é gerador de liberdade ou escravidão. Relembro que todo o complexo sistema de escravidão humana (96 milhões de seres humanos envolvidos) é essencialmente causada pelo dinheiro.

Solidariedade

Aversão, hostilidade

O dinheiro também é utilizado para a prática solidária, mas verificamos que, na realidade, é causador de muita hostilidade. Relembro que todas as guerras são financiadas a ‘peso de ouro’, dados os interesses envolvidos (seja em recursos naturais ou de condições de influência de mercado).

O sistema baseado no Valor Humano é por natureza gerador e potenciador de Valores Humanos, em toda a Sociedade Global, com preocupações, dedicação e empenho na sustentabilidade da Biosfera e Ambiental.

O objetivo primordial é o de gerar entendimento fraterno entre as Pessoas focado no seu Valor real, sem necessitar de outros ‘apêndices’ virtuais que apenas geram ‘ruído’ no relacionamento Humano.

Assim sendo, pretende-se minimizar os Antivalores de modo sustentado e regularmente, conduzindo a uma Sociedade com maior harmonia, mais justa e com maior consciência social.

A meu ver, os objetivos intrínsecos do sistema baseado no Valor Humano não são compatíveis com o sistema baseado no valor do dinheiro. Para tal, basta verificar o estado atual do planeta e do relacionamento entre os Povos, os Países, as Regiões e as Comunidades, para constatarmos que o dinheiro só atrapalha e é causador de desigualdades chocantes e impróprias de Seres Humanos.

São as tristes realidades atuais, que se passam diariamente na vida das Pessoa e que se prolongam sistematicamente de geração em geração, em ciclos não virtuosos, que agravam invariavelmente toda a condição Humana.

O Planeta é de TODOS os Seres que o habitam, bem como os recursos da Biosfera. Como tal devem ser geridos em condições de igualdade, com características de sustentabilidade global rigorosa e sistemática.

Esta condição não deve ser alienada para qualquer outro Valor que não seja o do Valor Humano. Só o Valor Humano pode dar maior estabilidade dinâmica à Sociedade Global.”

Alfredo Sá Almeida                                                                                                      3 de Abril de 2015